Queda de avioneta: “Senti um arrepio na espinha”

João Quadros estava na praia da Caparica quando uma avioneta matou um adulto e uma criança.

03 Ago 2017 | 12:01
-A +A

João Quadros, argumentista e humorista português, estava na praia da Caparica esta quarta-feira, dia 2 de agosto, quando a queda de uma avioneta no areal vitimou mortalmente um adulto e uma criança. 

O pai de dois filhos contou no seu Twitter de que forma tudo aconteceu e de que forma conseguiu salvar o seu filho. O testemunho arrepiante gerou muitas respostas nas redes sociais do argumentista.

Após a queda e tendo em conta as vítimas do acidente, João Quadros, conta que a revolta dos populares quase os levou a agredir os dois pilotos. Agressões essas que não aconteceram devido à intervenção de outras testemunhas na praia. 

João Quadros sentiu a necessidade de ir buscar o seu filho ao areal instantes antes da queda da avioneta. Um impulso que salvou a vida ao seu filho. 

“O meu filho estava junto à água a brincar e eu estava cá em cima, no bar. Senti um arrepio na espinha e disse à minha filha: “Espera aqui pelo pai que vou buscar o teu irmão”. Dito e feito, depois de chegar ao bar já com o filho, o humorista conta o que sentiu.

“Até parecia o som de um motor vindo do mar. Olhei para trás, vi um avião muito baixo que parecia estar a planar e não em queda”.

Após esse momento,  afirma que teve a sorte da vida dele.Aterrou, atingiu primeiro um senhor, voltou a levantar e depois chocou com extrema violência contra uma miúda que estava a brincar na areia. Foi a maior sorte da minha vida”

Assistiu a tudo, inclusive ao desespero da mãe da menina que morreu na sequência desta tragédia. 

“Se tivesse sido 15 minutos antes, a desgraça podia ser muito maior”, isto porque, devido ao vento intenso que se fez sentir momentos antes da queda da avioneta, muita crianças tinham acabado de abandonar o local. 

“Foi tudo tão repentino que houve três miúdos que escaparam porque se baixaram”.

 

Veja também: 

PUB