Querem emigrar! Sandra e Pedro Fernandes revelam planos para 2021

Casal quer abrir uma casa de fados nos Estados Unidos, mas primeiro precisam de analisar as propostas de trabalho da filha. Mãe da fadista recorda o Ano Novo praticamente acamada devido a acidente.

10 Jan 2021 | 13:10
-A +A

Sandra e Pedro Fernandes  estão cansados do que o mediatismo trouxe às suas vidas e necessitados de novas aventuras, de uma coisa têm a certeza: Em 2021 os planos passam por, primeiro, ir de férias e, depois, emigrar.

Em entrevista exclusiva à TV 7 Dias, o progenitor de Jéssica Fernandes explica que existe a necessidade de irem até outro país pois, esclarece, “isto tem sido muito intenso e, por muito que pareça que está tudo normal, todos os dias há algo novo. Agora acalmou um pouco, mas houve aí momentos que consumiram muito o nosso bem-estar. Portanto, acho que era merecido, para nós família, tirarmos uma semana ou duas para irmos para um espaço tranquilo.”

Já a ideia de emigrarem passa por irem atrás de um novo desafio, garante o pai de Jéssica. “Eu falei com a minha família e pensámos em ir para um desafio novo. Antes do BB pusemos a hipótese de irmos em direção ao Estados Unidos. Escolhemos esse país por eles terem uma mente muito aberta e eu identifico-me com carros e motas americanos. Vejo que aquilo que fazemos como família podemos fazer em qualquer parte do mundo. Abrir um restaurante, apresentar o fado, é uma coisa que se faz facilmente. A ideia era precisamente essa. Agora, o que combinámos os dois, é darmos até março para vermos o que vai acontecer com a Jéssica para não sermos o obstáculo daquilo que possa ser o futuro dela”, adianta, até porque já receberam convites para a fadista, não só para atuar no estrangeiro como também para editar um álbum.

 

Acidente aparatoso estraga festa

Habituados a passar o Ano Novo em família, Sandra explica que não têm “o ritual das passas. Às vezes fazemos outras vezes não. Fazemos uma festa com muita comida e muita bebida”. Mas há uma coisa que não pode faltar, explica o marido: “A nossa tradição é fazermos uma grande oração em família e pedirmos sempre que o novo ano seja sempre melhor do que o ano que passou e agradecermos por tudo o que tivemos e pedimos por novas oportunidades. Depois vamos para a praia logo de manhã, no Guincho, dar um mergulho. Damos o primeiro mergulho para fazermos uma limpeza. É giro.”

No entanto, nem todas as Passagens de Ano trazem boas memórias, pelo menos para Sandra. Numa das primeiras festas que teve após regressar da Holanda, onde vivia com Pedro e Jéssica, a mãe da fadista passou-a com muitas limitações e dores. Tudo à conta de um acidente de viação que a atirou para uma cama do hospital.

“Tive um acidente de automóvel e fiquei um bocadinho danificada. Não estive muitos dias internada, talvez uma semana. Rachei a anca, costelas, fiquei com a cara cortada, com a cabeça muito inchada. Foi na Marginal. Choquei de lado, despistei-me. Tinha chovido muito no dia anterior, a estrada estava com muita água e areia e o carro começou a deslizar”, conta. Apesar de ter tido a necessidade de ser hospitalizada, Sandra acabou por recuperar ao ponto de poder passar a Passagem de Ano em casa e foi “bem coxa para ao pé deles. Foram-me buscar à cama para estar junto deles. Fiquei lá deitada num sofá a ver toda a gente a divertir-se, mas bastante triste.”

E se esta é uma recordação menos boa, Sandra relembra todas as vezes que passou esta data em Amesterdão, na Holanda, “com aquele fogo de artifício todo, toda a gente a divertir-se. Está frio, mas toda a gente vai para a rua festejar. É muito giro, muito livre. Sentimos que podemos estar à vontade a divertir-nos e toda a gente nos respeita”.

Já Pedro recorda a primeira Passagem de Ano em Portugal como sendo a mais memorável. “Eu queria muito vir para Portugal. Então, quando acabei por passar o Ano Novo em Portugal, achei isso o máximo. O Ano Novo era sempre passado na Holanda e em 2005 começámos a vir para Portugal. Quando senti que não era um sonho, que era realidade, que estava cá para ficar, isso foi uma felicidade muito grande que senti”, conclui.

Textos: Carla Ventura (carla.ventura@impala.pt); Fotos: Helena Morais; Maquilhagem e Cabelos: Marta Cruz; Produção: Zita Lopes; Agradecimentos: Hotel Urbano, Lisboa: flh-hotels.com

 

(Artigo originalmente publicado na edição 1764 da revista TV 7 Dias)

PUB
Top