Relato dramático: Inês Mocho obrigada a abortar de gémeos e a tirar trompa

Inês Mocho foi diagnosticada com uma segunda gravidez ectópica e, como consequência, viu-se obrigada a abortar de gémeos e a tirar uma trompa. “O meu mundo pareceu parar”, diz a maquilhadora.

01 Mar 2021 | 20:20
-A +A

Inês Mocho sofreu uma nova gravidez ectópica, algo que ocorre quando o embrião se forma fora do útero. Desta vez, a conhecida maquilhadora profissional estava grávida de gémeos, mas o facto de a gestação não ser viável obrigou-a a abortar e a tirar uma trompa. O drama é relatado na primeira pessoa, num longo testemunho partilhado, esta segunda-feira, nas redes sociais.

Inês Mocho, que já é mãe de Leonor, começa por recordar que esta não é a primeira vez que passa por este problema. “Partilho todos os dias a minha realidade na medida em que me sinto confortável. Quem me segue já há algum tempo sabe que já passei alguns tormentos devido à endometriose (cheguei a ter de estar internada por causa das dores insuportáveis). Felizmente, consegui engravidar e foi uma gravidez santa. [Em] Agosto do ano passado, tive uma gravidez ectópica e consequente aborto químico”, escreve.

A também youtuber descreve este processo como “algo bastante violento física e psicologicamente”. “Só tive alta em dezembro e só aí me caiu a ‘ficha’. Fiz o luto do filho que queria ter e não tive”, lembra.

 

Inês Mocho: “O meu mundo pareceu parar, abrandar, senti-me zonza”

 

No passado mês de fevereiro, “descubro que estou novamente grávida. Não conto a ninguém e vou logo a correr a uma clínica de ecografias para ver se é uma gravidez viável ou não. Como é muito cedo não conseguem ver e mandam-me regressar em duas semanas. Enchi-me de pensamentos positivos de que estava tudo bem. Quando ouvi a médica dizer ‘é gravidez ectópica e desta vez são gémeos’, o meu mundo pareceu parar, abrandar, senti-me zonza“, conta Inês Mocho.

“Os momentos seguintes são fragmentos e muito rápidos”, prossegue. A maquilhadora não perdeu tempo. “Vou a casa despedir[-me] da Leonor e do Miguel [Domingues, o companheiro], vou à empresa orientar a equipa e dou entrada nas urgências. Foi tudo tão rápido que nem deu para processar“, assume.

Inês Mocho revela, então, a má notícia: “Tive de abortar e tirar a trompa.” A youtuber salienta que “correu tudo bem” em todo o processo e diz-se “fisicamente confortável”. Emocionalmente, a questão é outra: “Mas… Há momentos em que não aceito o que aconteceu e há momentos em que me questiono o porquê das coisas, que penso nestes três bebés que já ‘perdi’.”

 

“Não somos menos mulheres porque não temos uma trompa”

 

“Sei que isto vai ser um processo longo para mim e neste momento esta foi a forma que me senti mais confortável de partilhar tudo isto convosco. Por escrito. Quero partilhar porque acho importante falar de assuntos como este. Ainda assim sou uma abençoada. Não consigo imaginar como será passar por tudo isto antes de ter filhos. Por isso, o meu coração está com todas vocês que já passaram por algo similar. Espero que a minha partilha ajude e mostre que é ok não estar ok”, diz a quem a segue nas redes sociais.

E sublinha: “Não somos menos mulheres porque não temos uma trompa, um seio ou seja o que for.”

 

Inês Mocho agradece o apoio de Miguel Domingues

 

Inês Mocho promete “continuar a aparecer” pela Internet “e a trabalhar”, porque lhe “faz bem”. “Não quero, para já, falar mais do assunto mas queria deixar aqui a minha partilha”, remata.

As últimas palavras são dirigidas ao companheiro e pai da sua única filha, Leonor, que figura nas duas das três imagens que acompanham o seu testemunho. Ao antigo apresentador de televisão Miguel Domingues, diz: “Obrigada por me dizeres todos os dias que sou a mulher mais linda do mundo”.

 

Texto: Dúlio Silva; Fotos: reprodução redes sociais

PUB