Revelação: Blaya quis dar nome invulgar ao filho, mas pai da criança recusou

Blaya Rodrigues revelou que quis chamar o filho pelo qual espera de Zeus. No entanto, o pai da criança, Paulo Barradas, chumbou a ideia.

09 Mai 2021 | 9:40
-A +A

Blaya Rodrigues foi a convidada de sexta-feira da rubrica “Desculpa, mas vais ter de perguntar”, da Rádio Renascença, e não se coibiu de responder às questões de Ana Galvão, orquestradas pelas colegas Joana Marques e Filipa Galrão, sobre as polémicas em que já se viu envolvida e os seus filhos.

“Não tens vergonha que os pais dos colegas da tua filha te sigam?”, perguntou a radialista. “Por acaso, não. Se fosse pensar nisso, seria muito adulta, era demasiado. Vamos respirar, pessoal. Vamos relaxar e vamos deixar as pessoas serem como elas são. Eu penso assim: ‘Olha, que me deixe de seguir, é a única hipótese, que me bloqueie, não sei’. É desta maneira que eu também faço com que as outras pessoas, ou que as mães, se sintam à vontade para fazer isso”, respondeu Blaya, sem hesitar.

Blaya Rodrigues considera-se uma mulher trabalhadora e, por isso, admite estar “ao mesmo patamar” do que Anitta e Madonna. “Não me posso considerar uma pessoa abaixo delas, somos todos iguais. Sou artista, trabalho, luto para caraças. Não quero dizer que elas tenham mais hits e fama e que trabalham mais do que eu. Considero-me no mesmo patamar em relação a isso”, explicou.

A cantora é mãe da pequena Lau, de três anos, e prepara-se para ter o segundo filho, a quem vai dar o nome de Theo. Blaya confessou que a primeira escolha para o nome do bebé era Zeus, mas o pai da criança, Paulo Barradas, chumbou a ideia. “Porque é que queres castigar as crianças antes de elas nascerem?”, perguntou Ana Galvão, deixando a cantora a rir à gargalhada.

“Sei que vai haver uma altura da adolescência da Lau em que ela vai dizer: ‘Eu não acredito’. Ela é Aura Electra. Ela vai odiar o Electra, mas teve de ser. Existe uma fase da nossa adolescência em que odiamos o nosso nome. Depois, ela vai passar essa fase e vai dizer: ‘Eu adoro o meu nome. Sou a Aura Electra’. O Theo vai ser Theo Barradas Rodrigues, com o meu último nome. Eu mereço, as mulheres merecem ter o último nome”, confessou.

Enquanto artista, Blaya lamentou ainda que, em Portugal, “as pessoas gostem mais de saber da vida dos outros” do que das suas carreiras profissionais. “O que acontece é que, quando um artista posta uma coisa sobre música, tem muito menos feedback do que quando posta uma fotografia com a família. Não há retorno quase nenhum, não entendo porquê”, admitiu.

 

 

Texto: Mafalda Mourão; Fotos: reprodução redes sociais

PUB