Reveladas cartas de Renato Seabra: “Há dias que me sinto tão deprimido”

Renato Seabra trocou algumas cartas com uma jornalista portuguesa, residente nos Estados Unidos. Jovem português revela detalhes da vida na prisão e conta que se sente muito sozinho.

22 Abr 2021 | 10:30
-A +A

Renato Seabra escreveu várias cartas a uma jornalista portuguesa, residente nos Estados Unidos. Marta Dahnis revelou agora o conteúdo de algumas delas e conta como começou a troca de correspondência entre os dois, um ano após a condenação do jovem, em 2012, por ter assassinado brutalmente Carlos Castro, em Nova Iorque.

Segundo contou à CMTV, em 2013, Marta Dhanis escreveu uma carta a Renato Seabra, na qual se identificou como jornalista, e pediu para o entrevistar na cadeia. Na primeira resposta, o jovem português agradeceu a proposta, mas recusou falar. No entanto, um ano depois, voltou a escrever a Marta e relatou vários detalhes da sua vida na prisão, bem como do seu estado de espírito.

“Eu aqui tenho dias que vou abaixo, choro, começo a pensar na pena que tenho de fazer, no sofrimento que a minha família tem, nos sonhos que tenho, mas que se tornaram tão difíceis de acreditar (…) Enfim, tantas coisas. Tento manter-me ocupado, ler, trabalhar, ver televisão. Mas, sabes… há dias que me sinto tão deprimido que não me apetece fazer nada”, pode ler-se numa das cartas.

“Nesta idade que as pessoas fazem planos para a vida, eu somente posso rezar e pedir a Deus para fazer um milagre e reduzir a minha sentença. Se Deus quiser, vai acontecer algo de bom. Tem de se ter fé”, escreveu ainda Renato Seabra, dizendo ainda à jornalista que gostava de ser seu amigo: “Tu vais todos os anos a Portugal? A próxima vez que fores, se ainda não visitaste Cantanhede ou Coimbra, aconselho-te a ir. É lindo. Espero que aceites o meu pedido de amizade. Eu sou um bom amigo. Beijos. Renato Seabra”.

A solidão de Renato Seabra

A 13 de junho de 2013, Marta Dhanis recebeu outra carta de Renato, na qual este lhe falou da família e da solidão que sentia. “Olá Marta. Por aqui, há dias muito difíceis. Nesses dias, rezo muito. Peço ajuda a Deus, releio cartas da minha família e amigos. Sabes.. tenho uma grande mãe que me apoia muito (…) Tenho algumas pessoas com quem falo, mas passo mais tempo sozinho”.

Em entrevista à CMTV, agora, a jornalista sublinha que, em vários momentos desta troca de correspondência, percebeu que o português se sente muito sozinho e que tem esperança de voltar a Portugal em 2036, altura em que cumpre 25 anos na prisão e em que a Justiça norte-americana vai decidir se este pode regressar a casa, em liberdade condicional, ou se ficará preso nos Estados Unidos.

Atualmente, Renato Seabra tem 31 anos. A 7 de janeiro de 2011, na altura com 21, matou o cronista social Carlos Castro, no quarto 3416, no 34º andar do Hotel Intercontinental, em Nova Iorque.

Texto: Patrícia Correia Branco; Fotos: Impala

Veja também:
Renato Seabra travado por justiça americana: Preso no estrangeiro até 2036
10 anos da morte de Carlos Castro: O que é feito de Renato Seabra?

PUB
Top