Ricardo Costa pondera abandonar profissão por causa de irmão primeiro-ministro

Ricardo e António Costa partilham não só laços de sangue mas também de notoriedade. O diretor de informação da SIC revela que já ponderou abandonar o jornalismo por causa do cargo do irmão.

25 Out 2019 | 15:30
-A +A

São raros os momentos em que Ricardo Costa fala sobre a sua relação com o irmão, António Costa. O diretor de informação da SIC abriu uma exceção e, em entrevista a Cristina Ferreira, revelou alguns pormenores sobre a forma como convive com o facto de ser da família do primeiro-ministro.

Ricardo e António Costa são filhos do mesmo pai, o falecido poeta Orlando Costa. O primeiro-ministro é filho da jornalista Maria Antónia Palla e o diretor de informação da SIC de Inácia Martins Ramalho de Paiva. Com uma diferença de sete anos, os irmãos conviviam apenas aos fins de semana. «Onde estávamos mais tempo juntos era nas férias no algarve», conta Ricardo.

O irmão mais novo do chefe do governo explica que percebeu desde cedo que António iria fazer carreira na política, embora nunca tivesse colocado a hipótese de este assumir o cargo de primeiro-ministro. «Não percebi se ele gostava especificamente disso ou não. Percebi que ele gostava de coisas que tivessem acção. Eu acho – e aqui estou a entrar num terreno perigoso porque nunca falei com ele sobre isto – que o que ele mais gostou de fazer foi ser presidente da câmara de Lisboa», conta o jornalista.

Aos dias de hoje, Ricardo Costa ainda tem dificuldade em explicar como é que gere a nem sempre pacífica dinâmica entre a sua profissão e a do irmão. «Há dois níveis. O chamado nível prático, tudo o que é decidido na SIC ou no Expresso, nada passa por mim. Só em situações limite. Quando eu digo, meio a brincar meio a sério, que os jornalistas da SIC ou do Expresso estão-se nas tintas para o facto de eu ser irmão do primeiro-ministro, estão mesmo! Nem pensam nisso», afiança o atual diretor de informação da SIC e ex-diretor do semanário do Grupo Impresa.

Até agora, os irmãos Costa têm sabido gerir de forma saudável o facto de estarem, profissionalmente, em lados opostos. Mas Ricardo admite que, se surgir um conflito, será o primeiro a ceder e a abandonar o jornalismo. «A partir do momento em que ele foi para primeiro ministro eu sei que, se houver alguma situação em que isso prejudique de forma séria e estrutural a redação onde trabalho eu tenho de sair imediatamente ou se houver uma situação que prejudique brutalmente a nossa relação também. A última era obviamente a pior», conta.

Nunca comeu a cataplana do irmão

A visita de António Costa à casa de Cristina é, até agora, a emissão d’O Programa da Cristina com mais audiência. O primeiro-ministro, que esteve com Cristina Ferreira na terça-feira de Carnaval, cozinhou uma cataplana que se tornou viral.

Uma especialidade que o irmão ainda não provou. «Não sei fazer cataplanas nem nunca comi essa cataplana mas posso atestar que é verdade que ele cozinha muito bem… embora seja um dom tardio», conta o jornalista, revelando ainda que o atual primeiro-ministro, «durante muitos anos» se alimentava a «bife com batatas fritas». O gosto pela cozinha do irmão surgiu como um «refúgio», «num momento de maiores crises politicas».

Pai de quatro filhos com idades compreendidas entre os 23 anos e os 20 meses, Ricardo Costa conta que nenhum dos filhos mais velhos deverá seguir nem as suas pisadas nem as do iirmão. Embora possa estar na calha um futuro negócio de família. «O meu filho de 18 anos entrou num curso de cozinha. Esse é que pode abrir um restaurante com o tio!», brincou o diretor de informação da SIC.

 

Texto: Raquel Costa | Fotos: Arquivo Impala e redes sociais

 

Veja mais:
Aborto, divórcios e saudades! Mãe de António Costa chora n’ O Programa da Cristina
António Costa exalta-se no último dia de campanha: «foi um ataque à minha honra»

 

 

 

 

PUB
Top