Ricardo & Henrique explicam fim da dupla: um continua na música e o outro vira massagista

Vinte anos depois, Ricardo & Henrique separam-se para iniciar uma nova etapa das suas vidas. Se o primeiro se vai manter no meio artístico, o segundo tornou-se… massagista.

26 Ago 2019 | 20:01
-A +A

De viva voz, Ricardo & Henrique explicaram finalmente o que motivou o fim da dupla que singrava no meio musical há praticamente duas décadas. Num vídeo partilhado no canal de YouTube do dueto, os cantores de música ligeira, responsáveis por êxitos como Hey, L.O.V.E. e Tou Fora, falaram abertamente sobre a decisão e revelaram o que o futuro lhes reserva a nível profissional.

Ricardo Velho começou por realçar que o término do projeto musical não se deve a divergências com o colega e amigo. «Há muita gente que pergunta se nos chateámos. Não. Somos muito amigos e, por isso mesmo, esta situação foi tomada da minha parte e do Henrique. Conversámos muito, muito. Não foi fácil, porque cada um tem as suas opiniões, mas estamos a dar força um a outro», afiançou.

 

«Demos sangue, suor e lágrimas»

 

Também Aníbal Henriques frisou que esta decisão foi tomada de «comum acordo». «Tivemos uma conversa muito madura, muito adulta. Chegámos a uma fase das nossas vidas em que é extremamente importante e necessário definirmos o que é melhor para cada um individualmente. Durante estes 20 anos, demos tudo o que tínhamos para dar. Demos sangue, suor e lágrimas. Fomos tudo pela música, pelo povo que gostava de nós. Enquanto houve amor ao palco e ao meio, que não é um meio fácil, e enquanto houve capacidade da minha parte para encarar determinadas coisas, foi muito prazeroso. Com mais sacrifício ou com menos sacrifício, foi muito prazeroso», realçou.

Então, a que se deve o fim da dupla? Aníbal explicou que, nesta nova etapa da sua vida, escolheu «uma coisa mais calma, em que não tenha de lidar com a pressão do mediatismo». «Cheguei ao meu limite e, daqui para a frente, não iria respeitar aquele código que sempre respeitei, que é dar o meu melhor às pessoas. Nesta fase, preciso de ter mais estabilidade na minha cabeça e não ter aquela pressão do mediatismo. Agora quero descansar um pouco e dedicar-me à minha nova atividade. Sou massagista», anunciou.

Já Ricardo aproveitou o mesmo vídeo para assegurar a sua continuidade no meio musical. «Por que não tentar? Por que não continuar?», questionou, para a seguir dar a entender que já não se revia na identidade musical do projeto Ricardo & Henrique: «Não vou desiludir-vos de forma alguma. Vou continuar a fazer um grande trabalho. Agora, vou fazer uma coisa que vocês vão gostar mas que eu também vou gostar. Espero que gostem. Vêm novidades para breve.»

 

«Vou fazer uma perninha, mais tarde ou mais cedo»

 

Seguro da decisão que tomou para o novo rumo da sua vida, Aníbal não nega a possibilidade de, pontualmente, voltar ao mundo da música. Enquanto o amigo falava do seu futuro enquanto cantor, atirou: «Vou fazer uma perninha, mais tarde ou mais cedo». Ricardo riu-se.

No fim, houve ainda tempo para a dupla agradecer à Espacial, que editou os seus trabalhos discográficos. «Fizeram tudo o que podiam fazer por nós. Não podíamos pedir ou exigir mais. Fizeram tudo o que estava ao alcance pelo Ricardo & Henrique», afirmaram.

 

 

Recorde-se que, até 22 de agosto, quatro dias depois de a dupla ter anunciado o fim num concerto, a editora que geria a carreira e a agenda de Ricardo & Henrique não tinha sido alertada sobre o término da banda. Fonte oficial da Espacial revelou, em exclusivo à TV 7 Dias. que Ricardo Velho e Aníbal Henriques tomaram esta decisão de forma unilateral: «A editora não teve qualquer conhecimento desta decisão. Temos contrato com eles até ao fim de setembro e não temos informação de mais nada. Não sabemos se vão renovar», adiantou a fonte da Espacial, tendo ainda explicado que a dupla tinha concertos agendados para o mês de setembro.

Os artistas conheceram-se em 1999, na rubrica Big Caloiro, do Big Show SIC. Ediberto Lima, o criador do programa apresentado por João Baião, viu em Ricardo Velho e Aníbal Henriques uma oportunidade de negócio e uniu os artistas. Pouco tempo depois, a dupla rumou ao Rio de Janeiro, Brasil, para gravar o primeiro álbum. Desde então, nunca mais parou e conta com uma legião de fãs fieis. O fim foi agora confirmado.

 

Texto: Dúlio Silva com Raquel Costa | Fotografias: reprodução redes sociais

 

PUB
Top