“Ridículo”: Lenka quebra silêncio sobre polémica por vestido usado em “O Preço Certo”

Lenka da Silva considera “ridículo” alguém achar que é obrigada a usar a roupa com que surge em “O Preço Certo”. “Eu trabalho com uma equipa maravilhosa”, diz a assistente de Fernando Mendes.

01 Jul 2021 | 20:02
-A +A

Lenka da Silva, assistente de “O Preço Certo”, quebrou o silêncio em torno do polémico vestido que evidenciava as suas curvas (e os mamilos) durante uma emissão do concurso da RTP1. A roupa em causa tornou-se num dos assuntos mais comentados no Twitter e, agora, Lenka da Silva veio a público explicar que ninguém a obrigou a nada e que as propostas de guarda-roupa são postas à consideração antes das gravações.

“Ninguém me obriga a nada, isso é ridículo. Eu trabalho com uma equipa maravilhosa, todos temos possibilidade de dizer o que gostamos e não gostamos”, contou a assistente de Fernando Mendes ao site Delas. E acrescentou: “É claro que nós não estamos dentro de uma loja e não temos ao dispor os modelos, as cores e tudo aquilo que gostávamos de vestir. Temos um leque de vestidos que nos são apresentados pela stylist Mafalda Eustáquio e, à partida, se ficar bem, vestimos. Se não, não vestimos.”

À mesma publicação, a assistente de “O Preço Certo” desvalorizou o argumento das audiências, referindo que “a opção possa ter sido um pouco sexy de mais para alguns”. “Também se usam gangas, camisolas largas, vestidos compridos, um pouco de tudo no programa”, recordou.

Recorde-se que a polémica instalou-se depois de a jornalista Fernanda Câncio ter comentado, no Twitter, o facto de a RTP1 utilizar de forma “repugnante” a imagem de Lenka da Silva. “É espantoso como é que a TV pública continua a usar mulheres como adereços desta forma repugnante”, começa por dizer a ex-namorada de José Sócrates. “Há obrigações de cumprir os mínimos em termos de respeito pelos princípios constitucionais e pelos planos para a igualdade?”, lê-se.

Este tweet foi muito partilhado e comentado, tendo tornado o assunto o mais falado do momento naquela plataforma social. Se, por um lado, há quem concorde com a objetificação feminina em sinal aberto, há também quem acuse Fernanda Câncio de “incoerência” e “inveja”.

 

Texto: Márcia Alves; Fotos: reprodução redes sociais

PUB