Rogério Samora deixa país de luto: Marcelo, colegas e amigos em choque com morte do ator

Rogério Samora levou várias personalidades públicas, desde Marcelo Rebelo de Sousa a Sofia Alves, a lamentar a sua morte. “Obrigada por tudo, ‘pai'”, disse, por exemplo, Carolina Loureiro.

15 Dez 2021 | 17:25
-A +A

Rogério Samora morreu, esta quarta-feira, 15 de dezembro, cerca de cinco meses depois de ter sofrido duas paragens cardiorrespiratórias: uma durante as gravações da novela “Amor Amor”, da SIC, e outra já a caminho das urgências hospitalares.

Nas redes sociais, colegas e amigos do ator estão a reagir com palavras de tristeza. Também Conceição Queiroz, com quem o ator manteve um romance discreto durante cerca de um ano, entre 2015 e 2016, lembrou a última conversa que teve com o artista. Veja aqui.

 

As reações à morte de Rogério Samora

 

Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República: “A morte precoce de Rogério Samora, um dos mais carismáticos atores da sua geração, é uma grande perda para os seus familiares e amigos, mas também para o público português de teatro, cinema e televisão, que nele encontrou, há décadas, um intérprete de eleição. Rogério Samora fez teatro nos anos 80, com Filipe La Féria e Carlos Avilez, tendo trabalhado também com João Lourenço e Luís Miguel Cintra, entre outros; filmou com Manoel de Oliveira, José Fonseca e Costa, António-Pedro Vasconcelos, João Botelho ou Miguel Gomes, tendo-se notabilizado no «Delfim» de Fernando Lopes, onde encarou com brilhantismo um arquétipo do homem português de outras épocas já fora de época. E foi uma das mais constantes presenças em séries e telenovelas, somando ao reconhecimento a popularidade. Era uma presença forte, afirmativa, um ator que deixou marca, em particular no registo por natureza mais perene, que é o do cinema, o que permitirá às gerações futuras entender a admiração e a estima que por ele tiveram os espectadores do nosso tempo. À família e amigos de Rogério Samora envio as minhas sentidas condolências.”

Rui Unas: “Adeus, meu bom Rogério. Havia sempre a esperança que não fosses embora já. Foste o meu ‘padrinho’ na minha estreia no cinema em 2003 nos ‘Imortais’. Foste tão amigo, quase ‘paternal’, na forma como me ajudaste em tudo porque eu tremia em cada cena. Desde daí, o carinho e a alegria foi uma constante sempre que estávamos juntos. Felizmente, a última imagem que tenho tua foi a sorrires para mim. Abraço forte, meu amigo, onde que estejas, que estejas em paz. A tua saudável loucura e talento ficarão na nossa memória para sempre”.

Carolina Loureiro: “Não tenho palavras. Obrigada por tudo, ‘pai’. Serás eterno no meu coração.”

Sofia Alves: “Mais um dia muito triste para todos. Descansa em paz! Partiu mais um grande ator”

Sofia Nicholson: “E lá seguiste viagem! Vai em paz!”

Alexandre Ferreira: “O Gajo. A Voz. O Ator. O Riso. A Candura. O Espalhafato. O Carinho. Vou ter saudades tuas, Rogério. Agora, descansa em paz”

Jorge Corrula: “Adeus, Roger. Descansa em Paz.”

Rita Ferro Rodrigues: “‘Morreu um grande ator. Na minha percepção da vida e das condições em que vale a pena existir, desejo-lhe uma viagem pacífica e feliz para o outro lado do mistério, como dizia a querida Leonor Xavier. Um abraço forte aos amigos e familiares do Rogério.”

Heitor Lourenço: “Rogério. Homenagem sempre!”

António Pedro Cerdeira: “Meu irmão, éramos para estar a fazer uma peça agora, a vida dá muitas voltas. Perdi a conta aos anos em que nos conhecemos mas sei que íamos para as rulotes beber minis e comer bifanas depois das peças. Foste um dos primeiros atores que conheci neste meio e sempre te admirei pelo talento e frontalidade e perfeccionismo. Descansa em paz, meu irmão. Fazes muita falta. Ano de m…”

Diogo Infante: “Os nossos caminhos cruzaram-se pouco e nunca fomos próximos mas lamento profundamente que o Rogério tenha partido tão prematuramente. O meio artístico fica mais pobre. Um forte abraço de coragem à família e amigos”

Fernando Rocha: “Meu bom amigo, deixas a arte da representação mais pobre, obrigado por tudo que fizeste pela arte. Descansa em paz meu bom amigo”

João Baião: “Querido Rogério, fica aqui guardada no coração a minha habitual mensagem de Natal. Um aplauso para o nosso querido Rogério”

Patrícia Tavares: “Meu querido padrinho Descansa em paz”

Flávio Furtado: “Até um dia…”

Miguel Costa: “Um espírito inquieto, que procurava sempre fazer melhor. Como se não fosse já um dos melhores. Que muitas vezes só precisava de um abraço, ou que o ouvissem. Uma pinta do caraças. Aprendi muito contigo, Rogério. Obrigado. Descansa em paz.”

Luís Aleluia: “Que ano terrível para todos nós. Sentidos pêsames à família e um forte abraço aos amigos e colegas.”

 

Texto: Ana Filipe Silveira; Fotos: Arquivo Impala e reprodução redes sociais

PUB