RTP atingida pela pandemia: 4 casos confirmados na estação pública da televisão

Há quatro trabalhadores infetados pelo novo coronavírus na RTP. Comissão de Trabalhadores alerta para a falta de material de proteção e para não-cumprimento da rotatividade de equipas.

06 Abr 2020 | 17:15
rtp sede instalações edifício
-A +A

A Comissão dos Trabalhadores da RTP revela esta segunda-feira, 6 de abril, que existem 4 casos confirmados de funcionários infetados pela covid-19. «Um comunicado da RTP informou que há neste momento quatro colegas infetados com a Covid-19, todos em suas casas e todos, felizmente, com bom prognóstico», pode ler-se, numa missiva publicada nas redes sociais.

COVID-19TRABALHADORES DA RTP EM EMERGÊNCIABoletim da CT Número 5 06/04/2020 OLHAR A REALIDADE SEM PRECONCEITOS…

Publicado por RTP Comissão dos Trabalhadores em Segunda-feira, 6 de abril de 2020

«Trata-se de duas pessoas das Relações Institucionais, uma da Antena 2 e uma da rádio, esta a trabalhar no CPN [Centro de Produção do Norte]. Relativamente aos três primeiros casos, ficámos também a saber que eram pessoas que já estavam em teletrabalho há algum tempo. Relativamente ao colega do CPN, por se encontrar a trabalhar nas instalações do Monte da Virgem, o diagnóstico obrigou a pôr de quarentena a restante equipa. A quarentena da equipa foi sem dúvida a medida acertada», saúde ainda a Comissão de Trabalhadores da estação pública de rádio e televisão.

CT diz que rotatividade de equipas não está a ser cumprida

No mesmo comunicado, a Comissão dos Trabalhadores da RTP levanta várias questões quanto à forma como as emissões estão a ser geridas, no que toca a recursos humanos. «Colegas com responsabilidades têm-nos observado que, se fossem levar à letra as recomendações sobre equipas estanques, se tornaria impossível cumprirem com tudo o que lhes é exigido (…) Se as regras de segurança não estiverem a ser cumpridas, aí está um sintoma sério de que andam a pedir-nos demasiadas omeletes para os ovos disponíveis. Quem está a cumprir as missões deve fazê-lo sentir ao escalão acima e quem está a destinar essas missões deve dar ouvidos aos sinais de alarme que lhe chegam do terreno», lê-se ainda.

O órgão representante dos trabalhadores da RTP diz ainda que a regra da substituição total de equipas não está a ser cumprida, havendo cruzamento de profissionais de uma quinzena para a outra. «Houve jornalistas que, ao voltarem, ficaram a trabalhar com uma equipa que também tinha estado em casa, mas com uma editora que vinha da quinzena anterior. Ao terem conhecimento destes justificados reparos dos jornalistas, os colegas da cenografia fizeram notar que, no seu caso, nem tinha havido equipa alguma em casa. Toda a equipa tinha trabalhado na primeira quinzena e continuava a trabalhar na segunda», diz o comunicado.

O comunicado alerta ainda para a falta de material de proteção em algumas delegações da RTP. «Às delegações de Bragança e Viana do Castelo ainda não chegou qualquer material de proteção e às de Viseu e Castelo Branco só na semana passada chegou material. Um colega de uma delegação do norte teve de fazer dezenas de quilómetros para ir buscar três frascos de álcool que outro colega do CPN arranjou, uma vez que dos serviços centrais nada lhe foi enviado até ao momento», relata ainda a CT.

RTP esclarece rotatividade de equipas e equipamentos de proteção

À TV 7 Dias, fonte oficial da RTP afiança que, no que toca às equipas «há separação e rotatividade». «Estão a ser cumpridos todos os procedimentos definidos para as áreas operacionais, que constam do Plano de Continuidade às Operações e recomendados pelas autoridades de saúde, para garantir a segurança das pessoas».

Em relação aos materiais de proteção, a estação pública de rádio e televisão diz que «foram identificadas as necessidades nas várias delegações e remetidos os pedidos à RTP, que entretanto tratou de adquirir os materiais e posteriormente procedeu ao seu envio». «Esta situação abrangeu todas as delegações da RTP a nível nacional, Centro de Produção do Norte, Centros Regionais da Madeira e dos Açores e os nossos correspondentes internacionais».

Sobre os casos específicos mencionados pela CT, a mesma fonte avança. «No caso de Castelo Branco, já foram remetidas duas remessas de materiais de proteção. Uma há cerca de 3 semanas e o reforço seguiu na semana passada. Relativamente a Bragança está a ser expedido esta semana, uma vez que as necessidades apenas foram identificadas no final da semana passada». 

 

 

Texto: Raquel Costa | Fotos: Arquivo Impala

 

Veja mais:
Atenção: é preciso sangue nos hospitais! Campanha junta jornalistas da RTP, SIC e TVI
Revoltado! Jornalista da RTP implacável com Graça Freitas: «Silêncio, por favor!»

 

ATENÇÃO!

Vivemos tempos de exceção mas, mesmo nestes dias em que se impõe o recolhimento e o distanciamento social, nós queremos estar consigo. Na impossibilidade de comprar a sua revista favorita nos locais habituais, pode recebê-la no conforto de sua casa, em formato digital, no seu telemóvel, tablet ou computador.

Eis os passos a seguir:
  1. aceda a www.lojadasrevistas.pt
  2. escolha a sua revista
  3. clique em COMPRAR
  4. clique no ícone do carrinho de compras e depois em FINALIZAR COMPRA
  5. introduza os seus dados e escolha o método de pagamento
  6. Não tem conta PayPal? Não há problema! Pode pagar através de transferência bancária!

E está finalizado o processo! Continue connosco. Nós continuamos consigo.

 

 

PUB