Não vai ficar nada por mostrar! RTP revela emoções de José Cid em dia inesquecível

A RTP1 vai exibir, na noite do próximo sábado, um documentário centrado em José Cid e no dia em que o consagrado músico português recebeu, em Las Vegas, o Grammy Latino de Excelência Musical.

05 Dez 2019 | 17:30
-A +A

José Cid não mais vai esquecer o passado dia 13 de novembro. Foi naquela noite que o conhecido músico se tornou no segundo português a receber um Grammy Latino de Excelência Musical, depois de Carlos do Carmo, em 2014. No discurso, deixou as convenções de lado e, ao invés de falar em espanhol ou inglês, agradeceu na sua língua, «a língua de Camões, a língua de Fernando Pessoa».

As horas que antecederam o momento em que José Cid, de 75 anos, recebeu o gramofone dourado foram de grandes emoções, comprovadas no documentário que a RTP1 vai exibir da noite de sábado para domingo.

 

 

Com início marcado para a meia-noite, José Cid em Las Vegas – Um Grammy Português vai mostrar, segundo a estação pública, «o contacto do músico com Las Vegas, as surpresas dos seus amigos, a ansiedade antes do prémio e a felicidade após o mesmo». Tudo pela lente de Daniel Mota, o realizador.

 

O discurso de José Cid… bem ao seu estilo

 

«Desde já pedir o maior aplauso para os que vão ganhando este Grammy, que é muito importante para todos nós e saber que alguém se lembrou de nós num país tão pequeno e tão longe como é Portugal. Mas um país de encanto. Visitem Portugal, vão ver que estou a falar verdade», apelou José Cid no momento em que subiu ao palco para receber um dos nove troféus de Grammy Latino de Excelência Musical entregues naquela noite.

Ao seu estilo cru e honesto, o autor de êxitos como Um Grande, Grande Amor e Cabana Junto à Praia disse também fazer parte de um leque de 21 músicos portugueses que se distinguem por serem «grandes poetas, grandes músicos, grandes cantores». «Eu não estou sozinho, tenho mais dez cantores da minha geração e mais dez cantores da nova geração fantásticos. Eu sou apenas mais um deles», explicou, pedido um aplauso para o companheiro musical de sempre, Tozé Brito.

E, como um verdadeiro político, José Cid não deixou passar o momento sem deixar uma mensagem repleta de atualidade. «Vou continuar a cantar as minhas canções, de amor, de ternura mas também de ódio contra o racismo, contra a segregação racial, contra a energia nuclear e contra a poluição, a favor das pessoas que mais necessitam neste planeta». O agradecimento terminou com uma versão a capella de Nasci Pra Música.

 

 

VEJA TAMBÉM:
Nu e só com um disco! Os segredos da fotografia icónica de José Cid
José Cid: «Aos 75 anos, não se fazem as pazes com sexo»
José Cid revela que o pai fez fortuna graças a Hitler!

 

Texto: Dúlio Silva com Raquel Costa; Fotografias: Divulgação RTP

PUB
Top