RTP1 anuncia TRÊS NOVOS PROGRAMAS (dois deles com Fernando Alvim!). Saiba tudo

Fernando Alvim é o anfitrião de dois novos programas anunciados pela RTP1. Um deles recebe agora finalmente luz verde após sucessivos adiamentos das direções de programas do canal da última década.

06 Fev 2019 | 18:35
-A +A

Os ponteiros do relógio marcavam 19h06 quando Fernando Alvim, Xana Alves e Catarina Moura davam início à primeira conferência de imprensa interativa em Portugal, conduzindo a emissão dessa tarde do programa Prova Oral, da estação de rádio Antena 3, a partir do Teatro Capitólio, em Lisboa. Nem o programa, nem o local escolhido eram escolhas ao acaso (já lá vamos).

Minutos antes, em conversa com a TV7 Dias, o primeiro levantava a ponta do véu sobre os dois novos programas, dos três anunciados esta terça-feira pela RTP1, que vai estrear já no próximo mês. Um deles é – lá está – o mítico Prova Oral, um projeto que há mais de uma década que estava para conciliar a versão radiofónica com uma para televisão.

«A Prova Oral era um projeto um tanto ou quanto adiado por sucessivas direções de programas, inclusivamente a anterior (capitaneada por Daniel Deusdado), que já tinha este plano», afirmou Alvim, precisando que «ouvia falar dessa ideia há pelo menos dez anos» e que a justificação que lhe ia sendo dada pelos vários programadores da RTP1 era a de que «havia outros programa prioritários».

A estreia da versão televisiva de Prova Oral está marcada para a noite de 12 de fevereiro, terça-feira. E o que poderão os espectadores esperar desta nova versão do programa, semanal, gravada «com pouca distância do dia de emissão»? O anfitrião responde: «Adaptámos o formato radiofónico ao televisivo e quisemos não fazer mais do mesmo e acrescentar-lhe algo que o diferenciasse do seu formato radiofónico. Vamos ter a participação dos ouvintes na mesma, mas de um outro modo que depois verão.»

Aliás, para Alvim não fazia sentido ser de outra forma. «Os ouvintes da Prova Oral sempre foram muito ativos e eles também fazem muito parte do programa, na forma como participam, na forma original como questionam. Não podíamos deixar nunca isso. De repente, se não tivéssemos essa participação, o programa perderia mais de metade da sua essência», defende.

«Programa gravado com o próprio telemóvel»

Além do programa Prova Oral, Alvim vai ainda surgir na antena da RTP1 com um outro formato, também ele uma versão televisiva de um programa da Antena 3, o A3.30. «É um top de música que apresento há três anos mas que agora se verá com imagem. Acho que pode ser muito interessante, porque já não havia um programa destes desde o saudoso Top+», recorda o humorista à TV7 Dias, frisando, contudo, que este «é bem diferente» do programa que durou 16 anos e que terminou há 11.

«As pessoas ficaram órfãs de um programa como este, que é bem menos convencional do que era o antigo formato», antecipa o apresentador. Menos convencional? «É mais javardo, é isso que quer dizer. Basicamente tem uma componente de diversão. No fundo, é a grande mentira. Mistura-se a verdade com a mentira. mas mais a mentira do que a verdade. A única verdade são os resultados. Tudo o resto é mentira», atira Alvim, lembrando que, em A3.30, o top apresentado «é o resultado dos votos dos ouvintes da Antena 3 e não o resultado das vendas dos discos», como acontecia no Top+.

O programa, que «será gravado com o telemóvel do próprio apresentador», será emitido aos domingos à tarde e nele Alvim vai «percorrer as cidades e os locais» por onde passa, enquanto revela a contagem semanal aos espectadores. A estreia é a 3 de fevereiro, poucos meses depois de o humorista o ter sugerido à direção de programas. «Disseram logo que sim depois de terem visto. Acharam divertido.»

José Fragoso, o timoneiro da RTP1, corrobora. «Tem uma abordagem muito criativa, muito divertida, com muito humor. Ele mostrou-me e achei que tinha um desenvolvimento em televisão», explica o diretor de programas à TV7 Dias.

24 artistas num só programa

A terceira e última aposta da RTP1, também com a curadoria da Antena 3, chama-se Elétrico e será conduzido, a partir de abril, por Henrique Amaro e Vanessa Augusto. Um programa de música ao vivo e gravado no Teatro Capitólio, com duas bandas por emissão a tocar alternadamente os seus temas. Ao todo, em 12 episódios, serão 24 artistas, entre os quais se destacam Márcia, Isaura, Conan Osíris, Capitão Fausto, Dino d’Santiago, Linda Martini, David Fonseca ou Samuel Úria.

«Tendo em conta que faço muitas colaborações com a Antena 3, que é uma radio sempre muito dedicada aos meus projetos, o convite acabou por surgir com alguma naturalidade. Acho que me sentiria um bocado excluído se não figurasse entre os nomes dos selecionados. Tão natural foi o convite como depois foi a minha aceitação. O sim foi muito óbvio, perentório e rápido», explica-nos, bem-disposto, o último.

«Acho que muita da música portuguesa que hoje em dia é divulgada pela RTP está muito mais conotada com o cantor popular ou o cantor ligeiro, que tem direito ao seu espaço, que move multidões e que, por isso, acho que faz todo o sentido que apareça. Mas também acho que… Com alguma presunção, ia falar de uma coisa pedagógica: temos quase de forçar as pessoas a conhecerem outra musica portuguesa que também é feita», acrescenta Samuel Úria.

Texto: Dúlio Silva | Fotografias: Paula Alveno

PUB
Top