Rui Maria Pêgo sobre HOMOSSEXUALIDADE: «nem me era permitido pensar sobre isso»

Rui Maria Pêgo celebrou esta segunda-feira, 21 de janeiro, 30 anos. O animador de rádio recordou o momento em que assumiu a homossexualidade.

22 Jan 2019 | 9:12
-A +A

Rui Maria Pêgo completou esta segunda-feira, dia 21 de janeiro, 30 anos. No dia do seu aniversário, o animador de rádio esteve à conversa com Rita Ferro Rodrigues, para o projeto Elefante de Papel.

Ao recordar os marcos mais importantes da sua vida, o filho de Júlia Pinheiro relembrou a forma como descobriu e lidou com o facto de ser homossexual. «No meu caso, achava graça a raparigas, mas repente achava a rapazes. Não percebia o que isso significava, nem me era muito permitido pensar sobre isso. No meu universo não existia, não tinha exemplos dessa realidade. Depois, ainda existe o pecado associado a isso», conta e acrescenta: «atenção, não digo que a minha vida foi um inferno. Não fui vítima de bullying ostensivo, mas tenho situações da minha vida que são desse contraste: ‘se calhar não pertenço a esta sociedade’».

Leia mais: Rui Maria Pêgo sobre Maria José Vilaça: «não experimentou nada que a fizesse feliz»

 

Sobre a forma como revelou aos pais, Rui Maria Pêgo desvenda que surgiu depois de sofrer o primeiro desgosto amoroso. «Acabei por contar aos meus pais quando tinha 19 anos. Não preparei nada. Andava muito triste, a minha mãe estava muito preocupada, sentou-me na sala e perguntou-me se tinha a ver com a minha orientação sexual e eu disse sim. Os meus pais estavam fartos de saber», revela, explicando que levou algum tempo a ser digerido.

Sobre o motivo que o levou a tornar pública a sua homossexualidade, o filho de Rui Pêgo confessa que se sentia «hipócrita por não partilhar». «Tornar visível é tornar igual. Sei muito bem o que é viver com um segredo e toda a gente que vive com um sabe que isso nos desfaz em situações completamente absurdas. Vives com uma ansiedade que não é tua, um medo de seres descoberto», partilha, assumindo que «a vida é muito melhor assim».

Com a entrada no trinta anos, Rui Maria Pêgo revela sentir-se sereno. «Não estou nada triste com os 30 anos. Estou com uma sensação de conforto comigo mesmo», termina.

Texto: Redação WIN – Conteúdos digitais/ Fotos: Impala e Redes Sociais

 

PUB
Top