Sandrina do Big Brother revela que lhe punham a cabeça na sanita por ser cigana

Sandrina assume que foi discriminada por ser cigana e que a punham de lado. A jovem revela que quase lhe puseram a cabeça na sanita. Sandrina ganhou o passaporte para a final.

19 Jul 2020 | 23:56
-A +A

Sandrina do Big Brother,que ganhou o passaporte para a final esta noite, é a primeira concorrente cigana a entrar num reality show. A concorrente de Moura, Alentejo, fez a sua curva da vida e revelou o seu passado sofrido.

Sandrina, que foi criada pela madrinha, assumiu que quando andava na escola sofreu de bullying, muito por ser de descendência cigana. «O meu pai é de etnia cigania e, por isso, começaram a por-me de lado. Havia brincadeiras, punham-me de lado. Uma altura trancaram-me na casa de banho e disseram-me de tudo. quase me meteram a cabeça dentro da sanita, começaram a dizer que eu devia morrer. Houve alturas que muita gente disse… Dás-me este dinheiro, nós não te fazemos isso. Uma altura tirei dinheiro à minha mãe, mas nunca contei», assume.

Leia ainda: Daniel Monteiro e Hélder voltam para a casa do Big Brother

A jovem assume que sofreu tanto que chegou ao ponto de querer tirar a própria vida e começou a cortar os braços. «Comecei a ir à psicóloga. Tentei suicidar-me. Tomei muitos comprimidos. Foi a pior coisa: O que é que estou a fazer à minha vida?», questionava-se na altura, lembrando que hoje em dia a mãe tem orgulho nela, mas que nessa época foi a «pior filha».

Os complexos com o corpo começaram cedo e houve uma altura que se achava com quilos a mais.  «Comecei a comer e a vomitar», revela, explicando que sempre quis ser mais alta e ter um corpo mais torneado. Sandrina explica que ainda hoje, dentro da casa, por exemplo, olha para as colegas e as achas todas mais bonitas.

Pai de Sandrina do Big Brother era agressivo

Sandrina contou ainda alguns episódio menos bons da sua vida com os pais. «Os meus pais discutiam e às vezes o meu pai tornava-se agressivo. Uma vez estávamos a dormir na garagem e [ele ] começou a bater de forma muito violenta na porta. Tive muito medo e às vezes pensava que a podia ter perdido», recordou de lágrimas nos olhos.

Estes episódio de violência repetiram-se e por isso Sandrina decidiu dizer chega e acabou por passar algumas necessidades. «Com 16 anos disse à minha mãe: ‘Ou sais comigo ou vou embora sozinha’. Fomos para Reguengos. Houve alturas só tínhamos pão, mas sei que na altura éramos felizes. Vivíamos uma para a outra com uma ligação muito grande», assume, explicando que mais tarde a mãe perdoou o pai e hoje têm uma relação pacifica.

Sandrina terminou com uma mensagem: «Temos de dar o direito à pessoa de conhecer e não dar algum rótulo. Vim ao Big Brother mostrar um pouco da Sandrina porque eu sou isto», concluiu.

Mensagem de Ricardo Quaresma

Durante a gala, Sandrina recebeu uma mensagem muito especial de alguém que admira muito: Ricardo Quaresma.

«Olá Sandrina, queria mandar-te um beijo e dizer-te que tanto eu como a tua família adoramos-te. Um grande beijo e diverte-te», disse o jogador. A jovem nem quis acreditar e pediu para Cláudio Ramos repetir a mensagem.

Texto: Ana Lúcia Sousa; Fotos: Redes Sociais

 

Veja mais:
Lágrimas e explicações! Avião negativo para Iury, Sandrina e Pedro Alves causa o caos
Big Brother: Sandrina faz 22 anos, mas as discussões continuam na casa

 

PUB
Top