“Sei que Deus me manterá de pé”: Ruth Marlene ganha força após “tempestade” de críticas

Ruth Marlene mantém a esperança e, depois de uma chuva de críticas no verão passado, acredita que “Deus a manterá de pé”. “Não importa o tamanho da tempestade”, sublinhou a cantora.

13 Out 2021 | 9:03
-A +A

Ruth Marlene tem partilhado várias mensagens enigmáticas, em jeito de desabafo, depois de ter sido duramente criticada. A cantora, de 43 anos, tem sido alvo de ataques por parte de internautas, após ter participado numa reportagem realizada por Joana Latino e Nuno Pereira, emitida em agosto passado, no programa “Olhá Festa”, da SIC. Os telespectadores não gostaram que a estação de Paço de Arcos tivesse eleito a artista de música popular portuguesa como representante barreirense.

Semanas depois de ter ido para o ar, Ruth Marlene ainda sofre com as críticas. Nas redes sociais, tem publicados pequenos desabafos, bem como “dicas” aos críticos. “Não importa o tamanho da tempestade. Eu sei que Deus me manterá de pé”, escreveu a artista na legenda de uma imagem, partilhada, esta terça-feira, 12 de outubro, no InstaStories, ferramenta do Instagram. Já há duas semanas, a cantora mostrou-se em biquíni na varanda de um hotel e escreveu: “Aceita que dói menos”.

 

Ruth Marlene: “Queriam magoar-me, conseguiram”

 

Em agosto passado, Ruth Marlene contou todos os detalhes sobre os ataques que tem sofrido. “A reportagem saiu e tenho sido alvo de críticas, tem sido terrível porque já há grupos contra mim. ‘Porquê a Ruth Marlene? Há coisas mais importantes a serem faladas no Barreiro do que a vida da Ruth Marlene’. Acho triste. Eu que fui nascida e criada no Barreiro não posso fazer parte da minha terra natal. Existem grupos no Facebook contra mim, a ofenderem-me, a dizerem que eu nem devia fazer parte do Barreiro, porque não sou importante”, lamentou.

E continuou: “Eu não sou mais do que ninguém, mas a entrevista era sobre a minha vida. Escolhi o Barreiro porque amo a minha terra natal. Foi lá que eu nasci e é lá que eu quero morrer”.

Ao longo do discurso, Ruth Marlene não conteve as lágrimas: “Queriam magoar-me, conseguiram. Obrigada. O meu objetivo neste mundo é tentar alegrar os vossos corações e cantar. É transmitir a minha alegria, mas não façam sofrer o meu coração. Amem-se e sejam felizes”.

 

Texto: Márcia Alves; Fotos: Arquivo Impala e reprodução redes sociais

PUB
Top