SIC fez contra-proposta a Cristina Ferreira! TVI já a tinha convidado no início do ano

Numa longa conversa com Manuel Luís Goucha, Cristina Ferreira revelou que a SIC tentou segurá-la na estação durante a fase de negociações. «Podiam oferecer-me 50 milhões que eu não ficava», disse.

21 Set 2020 | 13:10
-A +A

A SIC fez uma contra-proposta a Cristina Ferreira quando esta informou o canal de Paço de Arcos de que estava de saída para a TVI. A revelação foi feita pela própria apresentadora, em conversa com Manuel Luís Goucha, na emissão desta segunda-feira, 21 de setembro, do programa Você na TV!.

«Eu podia ter ficado na SIC a ganhar muito mais, com muitas mais condições, do que as com que estou hoje aqui. Houve uma altura nas negociações em que o meu advogado me disse: ‘Cristina, tem mesmo a certeza de que não quer ouvir a SIC? Que não quer continuar a falar com aquilo que a SIC lhe está a propor?’. Disse: ‘Não. Eu já não estou cá’», recordou a malveirense, revelando novos contornos da sua polémica transferência, quando decidiu cessar unilateralmente o contrato que a ligava à SIC.

Cristina Ferreira não quis porque, segundo ela, a decisão já estava tomada. Aliás, o mesmo tinha acontecido dois anos antes, quando se despediu da estação de Queluz de Baixo. «Quando vim à TVI dizer-me que ia embora, disseram-me: ‘Mas o que é que te podemos oferecer?’. Nada, não é isso que me vai fazer ficar. E agora foi igual. Não havia nada que me pudessem oferecer. Podiam oferecer-me 50 milhões [de euros] para ficar lá que eu não ficava», garantiu a apresentadora, que regressa à TVI como Diretora de Entretenimento e Ficção e acionista da Media Capital.

 

TVI tentou Cristina Ferreira «três meses antes» de o conseguir

 

Em conversa com o homem com quem formou dupla durante 14 anos consecutivos, Cristina Ferreira falou sobre o que a motivou a regressar à TVI. Volta no «momento certo», sublinhou. Até porque esta não foi a primeira vez que o canal tinha tentado o retorno da malveirense: «Já tinha sido convidada três meses antes.»

Agora, regressa a Queluz de Baixo para reerguer a «casa-mãe», como a própria apelidou aquando do anúncio do regresso. «Senti que tinha de voltar aqui para pôr tudo no lugar, porque eu tinha ajudado a destruir com a minha saída», lamentou. Houve sentimento de culpa? «Sim». respondeu, visivelmente emocionada, à questão de Manuel Luís Goucha.

Dos quase dois anos em Paço de Arcos, guarda boas memórias mas uma profunda dor quando olhava para uma TVI desorientada. «Fui muito feliz na SIC, naquele programa. Eu fui aquele programa. Chegou uma altura em que já estava tudo feito, não havia ali mais nada. Eu olhava para aqui [TVI] e as minhas pessoas estavam aqui. Há duas ou três pessoas da SIC com quem converso, mas não fiquei com mais ninguém de lá. Estão todas aqui. Vi isto a cair, a cair, e dava-me uma dor no coração. O meu lugar era aqui», sublinhou.

 

«Nunca pude pôr em prática nada daquilo que tinha imaginado»

 

Na SIC, além de apresentadora, Cristina Ferreira era consultora-executiva da Direção-Geral de Entretenimento da Impresa, liderada por Daniel Oliveira. Mas a malveirense alega que não conseguiu pôr em prática estas funções. O mesmo acusou esta segunda-feira em relação à TVI, na altura em que era Diretora de Conteúdos Não Informativos. «Já tinha sido nomeada diretora nesta casa e nunca pude pôr em prática nada daquilo que tinha imaginado», alegou.

Bruno Santos era o Diretor de Programas e Cristina Ferreira diz que «não» era ouvida. «Pelo facto de ser mulher, sempre fui colocada no meu lugar e nunca pude fazer aquilo que eu imaginava para a televisão», lamentou a mulher que, neste mês, assinou um acordo para ficar com 2,5% da empresa que detém a TVI.

Também por isso, no verão de 2018, Cristina Ferreira decidiu deixar Queluz de Baixo. «Senti que era apenas mais uma [na TVI] e que era preciso sair. E aconteceu. Podia não ter ido, mas houve um convite. Precisava mesmo de sair. Já fui para a primeira conversa [com a SIC] a saber que me ia embora. Foram muito rápidas as conversações», revelou.

Na SIC, ajudou o canal a alcançar a liderança das audiências. Um feito que ninguém retira a Cristina Ferreira: «Não há coincidências e há registos que, por mais que queiram dizer o contrário, estão lá. A SIC ganha a primeira vez no dia 7 de janeiro de 2019. Se fiz tudo sozinha? Se a estação foi só líder por mim? Não.»

Mas o seu coração estava na TVI: «Eu nasci aqui, eu cresci aqui. Custou-me muito durante este ano e meio ver o local onde eu tinha vivido a cair. A cair. Quero muito que esta casa volte a ser aquilo que eu senti nos primeiros anos de profunda felicidade, de família, onde todos estão felizes, com um brilho nos olhos. E isso foi uma coisa que se perdeu. Se eu conseguir ajudar que isso volte aos ecrãs e que toda a gente entende este casa como a casa da família, então eu vou fazer de tudo para que isso aconteça.»

 

Texto: Dúlio Silva

PUB
Top