SIC revela e-mails: Cristina Ferreira exigiu Globos de Ouro e quis salário astronómico

Através da sua agência, Cristina Ferreira propôs à SIC que esta lhe pagasse mais uns milhares de euros. No entanto, o canal de Paço de Arcos rejeitou e reduziu a proposta, que foi aceite.

10 Fev 2021 | 15:30
-A +A

Muito se tem escrito sobre a contenda que coloca a SIC e Cristina Ferreira em lados opostos da barricada. A apresentadora está a ser processada pela sua anterior entidade empregadora por quebra contratual e o pedido de indemnização ultrapassa os €20 milhões. Agora, com a resposta do canal de Paço de Arcos à contestação, novos pormenores sobre uma das mais chorudas contratações da televisão em Portugal foram revelados.

De acordo com a réplica [N.R.: nome dado a este procedimento judicial], consultada pela TV 7 Dias, durante a fase de negociações, Cristina Ferreira, que entrou na SIC a ganhar €90 mil, pediu uns milhares a mais por mês, pedido esse que foi rejeitado e reduzido.

Segundo os documentos constantes no processo, que está entregue ao Tribunal Central Cível de Lisboa, a atual acionista da Media Capital quis receber €115 mil, mais IVA, o que perfaz um total de €141,45 mil por mês. Contudo, a SIC declinou a proposta, baixando-a para €90 mil.

 

Agente de Cristina Ferreira não tentou negociação

 

Através dos e-emails enviados pela sua agente, Inês Mendes da Silva, da Notable, é possível verificar que não houve nova tentativa de negociação, tendo a profissional aceite o valor proposto pelo canal de Paço de Arcos para desempenhar as funções de apresentadora de “O Programa da Cristina” e de outros formatos, como “Prémio de Sonho”.

Os Globos de Ouro também foram pensados, com a malveirense a fazer a “exigência” de ser a anfitriã desse ano da gala, de forma a garantir “uma entrada em grande na SIC”.

Recorde-se que Cristina Ferreira trocou a SIC pela TVI a 17 de julho de 2020, menos de dois anos depois de ter começado a trabalhar no canal de Paço de Arcos. Perante esta quebra contratual, a SIC vem agora requerer uma indemnização no valor de €20 287 084,54.

 

Cristina Ferreira à caça de vantagens fiscais

 

Na réplica adicionada ao processo, a SIC esclarece ainda que a decisão de fazer dois contratos com Cristina Ferreira, um em nome da firma Amor Ponto e o outro em nome da apresentadora, foi uma ideia da malveirense, “que manifestou que, por razões fiscais, pretendia receber a maior parte da remuneração através da sua empresa”.

No que diz respeito ao contrato celebrado com a entidade coletiva, a SIC refere que, além dos outros argumentos acima descritos, existe uma fundamentação legal para que Cristina Ferreira seja condenada ao pagamento da indemnização.

 

Leia tudo aqui.

 

Texto: Carla Ventura; Fotos: Arquivo Impala e reprodução redes sociais

PUB
Top