“Sinto-me enojado”. Novela Para Sempre causa revolta em telespectadores da TVI

Na novela “Para Sempre”, que está em exibição na TVI, há uma cena que está a causar indignação. Tudo por causa da ‘guerra’ entre o Soajo e Castro Laboreiro.

02 Mai 2022 | 10:30
-A +A

A novela “Para Sempre”, atualmente em exibição na TVI e protagonizada por Diogo Morgado e Inês Castel-Branco, está a ser alvo de polémica. Tudo por causa de uma frase dita por Alcino Parracho, personagem de Rui Melo, numa cena que põe em evidência a ‘guerra’ existente entre duas localidades: Soajo (município de Arcos de Valdevez) e Castro Laboreiro (uma antiga freguesia portuguesa do concelho de Melgaço).

Na novela “Para Sempre”, os habitantes do Soajo fazem uma quermesse para ajudar a família de Tozé (Paulo Pires) e evitar que este tenha de emigrar. Mas, durante a noite, algumas peças da quermesse são roubadas e, na cena que está a causar polémica, pode ouvir-se Alcino Parracho dizer: “Foram aqueles bandalhos de Castro Laboreiro, isto é perseguição deles, como sempre” e “Esses manhosos querem-nos roubar as festas, como roubaram os animais”.

José Carlos Pires, um telespectador da TVI, não gostou do que ouviu e expressou a sua revolta através das redes sociais. “Incomodado! Revoltado! Como descendente e orgulhosamente castrejo que sou, sinto-me (vou tentar manter a postura) enojado pela forma como o cidadão de castro laboreiro é caracterizado nesta ‘espécie’ de novela colocada numa qualquer estação televisiva!, começou por escrever. “Através de um, vou-lhe chamar assim, argumentista que, sem nenhum pudor ou vergonha, expõe uma ideia de os castrejos e da sua história riquíssima de forma vergonhosa. Não, nunca fomos visto como um povo bandalho ou ladrão! Não, nunca roubamos raça de cães nenhuma (ideia e mentira criada por uma pessoa com graves problemas cognitivos, e que depois de tantas vezes contada, já há quem acredite nela). Já chega. Já basta”, rematou.

Nesta publicação, pode ainda ler-se alguns comentários de apoio a esta crítica à novela “Para Sempre”. “É de lamentar”, “TVI, só lhe ficava bem um pedido de desculpas” ou “Tristeza” são apenas alguns exemplos.

Texto: Patrícia Correia Branco; Fotos; Divulgação TVI

PUB