«Chamaram-me de Djaló»! Soraia Tavares fala sem pudores de racismo na escola e em TV

A vencedora do programa A Tua Cara Não Me É Estranha recorda o episódio mais marcante de racismo que sofreu na adolescência e assume que sente esse preconceito em televisão.

03 Ago 2019 | 16:36
-A +A

Soraia Tavares, de 25 anos, esteve à conversa com Fátima Lopes, na emissão deste sábado, dia 3 de agosto, do programa da TVI Conta-me Como És, numa entrevista que começou com a vencedora da mais recente edição do concurso A Tua Cara Não Me É Estranha a abordar o início de carreira e o orgulho que sente pela mãe, Joana Tavares.

A progenitora da atriz sempre lhe deu força para seguir representação. «Tu tens de fazer isto», dizia-lhe. «Ela sempre me apoiou imenso, sempre me foi buscar. Sempre foi uma lutadora. Nunca pensou na parte monetária, sempre pensou na minha felicidade», conta, lavada em lágrimas.

 

«Uma vez passei-me porque me chamaram de Djaló»

 

Questionada sobre se teve algum problema relacionado com o racismo, a jovem responde: «Sempre fui a única preta da turma. Uma vez passei-me porque me chamaram de Djaló. Queriam instituir que eu seria o [Yannick] Djaló da turma. Que seria a minha alcunha. Eu passei-me. Mas eu não sinto que vivi muito as situações de racismo. Já vivi algumas mas sempre senti que os meus colegas gostavam de mim. Os meus colegas nunca me puseram de parte. Na escola de teatro ainda me senti mais valorizada. As pessoas diziam ‘Adoro a tua pele, és tão bonita’».

«Nas audições até senti que o ser preta até me destacava. Somos poucas», diz ainda.

 

Racismo em televisão

 

Porém, Soraia confessa que o mesmo não acontece em televisão. «Na televisão acho que não é assim. Ou está lá escrito que a personagem é preta, ou então não se lembram de mim… Espero que seja só da minha cabeça!»

Fátima Lopes quer saber mais e pergunta: «Já tiveste alguma situação, num casting? Como lidas com isso?». A resposta não tardou em chegar. «Fico revoltada. Nem sequer vou fazer um casting. Ou é um casting super aberto, ou então é para uma coisa especifica. Claramente precisam de uma negra. Só senti agora que estava a fazer um casting e que não era por questões de cor. Para a peça Chicago. Senti que ou ia ficar eu ou ia ficar a outra… E a outra era uma branca. Por acaso fiquei eu. Fisicamente ela era diferente de mim, por isso, foram questões de talento, da forma de representar, de cantar…»

A cantora namora com o bailarino Filipe Rico, de 36 anos. O dono do coração da vencedora do programa A Tua Cara Não Me É Estranha deixou-lhe uma mensagem. «A primeira vez que vi a Soraia foi no Teatro Tivoli. Quando a vi fiquei logo… ‘Ora bem, quem é esta rapariga? Amo-te muito e quero que assim seja até sermos velhinhos», diz, com um grande sorriso no rosto. «Sou muito feliz com ele. Temos esta diferença de idades, mas não é nada para mim», remata Soraia Tavares.

 

VEJA TAMBÉM:
Soraia Tavares vence A Tua Cara Não Me é Estranha… mas nem toda a gente ficou feliz
Rui Maria Pêgo manda boca à SIC durante A Tua Cara Não Me É Estranha!
Concorrente d’A Tua Cara Não Me é Estranha estrela de projeto internacional

 

Texto: Redação WIN – Conteúdos Digitais | Fotografias: Impala e reprodução redes sociais

PUB
Top