A Crónica da Agricultora: «Soraia transformou um programa de amor num filme erótico»

Inês Martins analisa mais uma semana de emoções fortes nas quintas dos protagonistas da terceira edição de Quem Quer Namorar Com o Agricultor?. O rurality show da SIC já está na reta final.

14 Jul 2020 | 19:30
-A +A

A cronista da TV 7 Dias Inês Martins analisa mais uma semana de emoções nas quintas dos agricultores.

 

Só o futuro ditará o destino de Dalila e João

Estamos quase a chegar ao fim desta aventura campestre! No reencontro de Dalila e João a minha opinião mantém-se: ele não me parece olhar para ela como apaixonado. Para mim, sente uma atracção apenas.Já ela sim! Está caidinha pelo (e fez questão de frisar) seu namorado.

Parece-me que é uma namorada que gosta de tomar as rédeas e marcar posição de posse. No início do encontro, não sei se é por estar nervoso ou pouco à vontade com o reencontro com as câmaras, nem a agarrou. Já ela era o tempo todo ‘anda cá que eu não te aleijo!’. Ao longo do encontro já pareciam 2 pombinhos apaixonados. Está o casal feito! Só o futuro ditará o destino destes dois. Uma vida a dois fora do programa é que ditará a sobrevivência do verdadeiro amor.

Fazem as traquinices por trás das câmaras e depois usam a piada para camuflar…

Epá! Já tinha saudades de ver o António de brinquinho. Eu sei que cada pessoa tem o seu estilo e que devemos respeitar mas, ai! Estranhoooo. Bem, adiante… No encontro com Susana foi um bombardear de ironia. Susana do início ao fim a atirar a matar tudo o que tinha entalado. Mesmo assim, senti que se estava a controlar. Porque seria se não estivesse a ser gravada. Algo me diz que o António ia ouvir bem pior.

E, pela atitude de defesa e também irónica da parte do agricultor, algo me diz que muito se passou no pós programa. Ao longo da conversa foi-se fingindo de parvo mas de parvo não tem nada. Odeio pessoas mentirosas. Assumam as coisas como são. Fazem as traquinices por trás das câmaras e depois usam a piada para camuflar…

Depois de uma longa conversa, António entrega lhe uma carta a convida-a para voltar a Chaves e Susana, com um discurso cuidadoso, oferece-lhe uma valente nega. Pela atitude dele, baixou-lhe o ego de tal forma que ele meteu o rabinho no meio das pernas e rapidinho se despediu. Ela saiu da quinta muito magoada e mencionou que teve um sentimento especial pelo António mas a mim parece-me mais que por saber que o Agricultor tem o coração fechado, ela vestiu a armadura em defesa do seu coraçãozinho e não ia lutar por um homem assim.

Chico das Aventuras visita Chaves e António escolheu Aurélia para um date enquanto, com a ajuda de Neuza, cuidava da quinta. Agora é que a calmaria da Neuza arrebita com a hiperatividade deste agricultor dos pés descalços.

 

 

A Maria João não me parece apaixonada

Sobre o encontro de Francisco com a Maria João, vou-me repetir :não há sentimento da parte da Maria João. Se desse uma percentagem ao amor desta relação, diria que Francisco está a 101% e ela sente assim uns 15%. E está também muito influenciada pela mãe. Pelo que percebi, quer que a filha arranje um marido porque ela não vive para sempre e com a idade dela já é hora. Salientou que amor cresce com a convivência. E é verdade… Mas a Maria João não me parece apaixonada. Só não entendo porque se deixa levar. Se deixa beijar.

Só está a dar esperanças a um homem sensível que vai acabar por sofrer com a frieza de quem não ama na mesma medida. Serei sempre uma eterna crente do amor.

Só digo isto porque, na minha personalidade não existe o mais ou menos, o deixa andar, o logo se vê e no amanhã pode crescer algo… Não. Para mim, para entrar numa relação, tenho que sentir tudo agora, se não sinto… Não alimento nem deixo fluir. Sou demasiado reta e sei bem o que quero. Não sei se é positivo mas sou assim.

Há pessoas que ficam anos solteiras por mágoas de más relações e outras porque não se contentam com relações meio termo. Por esta forma de ver, Maria João está a deixar-se ir para ver o que vai dar. É uma grande pressão para o agricultor fazer com que ela se apaixone. Pode ser que sim. Deixo em aberto porque do futuro ninguém sabe. Nem eu claro.

E sendo o Francisco tão boa pessoa, tão bom coração e tão romântico, pode despertar sentimentos mais fortes na frieza de uma mulher magoada por relações falhadas no passado. Enquanto vão numa espécie de lua de mel, Francisco entrega a quinta e a sua convidada Yasminy a dois novos convidados. O meu Neves, meu amigo e vizinho e a Patrícia. Pronto. Chegou o apressado e exigente e carismático agricultor. Vai meter as meninas na ordem.

Para ele as mulheres têm que nascer ensinadas mas, conhecendo-o um pouco mais como já o conheço, no fundo ele é um doce de pessoa. Só o faz para puxar por elas.

É um desenrascado! De lento, este alentejano não tem nada.

 

O Ricardo gosta das duas mas como amigas

Quando Ricardo foi visitar a Mafalda, foi a diversão e cumplicidade de sempre mas reparei que nem com os sinais e indiretas de Mafalda para o seu chefinho ele deu o primeiro passo. Até beijinhos lhe pediu mas ele, em modo banana, como ela lhe chamou, não achou por bem esse passo porque ainda não tem certezas. Pois… aquilo que sempre achei. Ele gosta das duas mas como amigas. Verdade seja dita, estes dois têm uma cumplicidade incrível e genuína mas não necessita ser para o amor.

E, pelas atitudes e críticas e ‘abre-olhos’ da Mafalda perante as atitudes do porta-chaves vejo que, para ela, só faz sentido um homem seguro, com certezas que a assuma e tenha atitude.

Soraia transformou um programa de amor num filme erótico

Quando Catarina visitou o Bruno, como um bom amigo que sempre demonstrou ser na quinta, ele levou-a comer sushi pela primeira vez. A nossa agricultora não gostou mas valeu por nova experiência.

Soraia e o Menezes visitam a quinta de Catarina e não me surpreendeu nada que o Daniel se fizesse logo à febra da Soraia. Aquele menino nunca me enganou. Nunca o vi ser o homem que a Catarina procura. Entretanto, Soraia tem daquelas suas ideias de transformar um programa de amor num filme erótico. Achei ridículo e despropositado. O Menezes passou o tempo sentado a ver aquelas tristezas. Nem sei o que lá foi fazer.

E Daniel, nestes momentos, subiu uns pontinhos na minha consideração. Estava completamente desconfortável com aquelas figuras e até pensou na mãe. Acho que sim. Era desnecessário aquele show para um programa de amor e agricultura. E ainda por cima na quinta da doce Catarina, que tem valores. Sem falar na mãe de Catarina. Não houve respeito.

É a minha opinião. Tantas brincadeiras que se podem fazer. Enfim… Soraia ficou conhecida e acarinhada por esta personagem e, se calhar, sou apenas eu a ficar chocada com o que vi. Será?

 

 

Crónica: Inês Martins, empresária e ex-candidata de Quem Quer Namorar com o Agricultor?

 

VEJA TAMBÉM:
A Crónica da Agricultora: «O Ricardo é muito verde nas questões de relações»
A Crónica da Agricultora: «A Dalila adora estragar a harmonia da quinta»
A Crónica da Agricultora: «O Paliotes queria era forrobodó com a Dalila!»

PUB
Top