“Sou um pai ausente mas muito amoroso da sua filha”: Ricardo Ribeiro desabafa com Goucha

Ricardo Ribeiro foi o convidado de “Conta-me”, da TVI, e fez declarações surpreendentes a Manuel Luís Goucha. Saiba tudo sobre esta conversa.

18 Abr 2021 | 22:20
-A +A

As paisagens do Alentejo foram o local escolhido por Ricardo Ribeiro para receber Manuel Luís Goucha, no âmbito do programa “Conta-me”, emitido neste sábado, 17 de abril. Nele, recordou alguns dos momentos mais delicados da sua vida, nomeadamente a sua tentativa de suicídio quando tinha apenas 13 anos. Antes disso, recordou, com alguma tristeza, a infância difícil.

“Não posso falar em felicidade. Nessa altura não a conheci […]. Foi uma infância dura. Nasci num bairro típico de Lisboa na Ajuda. Os meus pais eram pessoas muito humildes e simples. Tive uma infância de alguma maneira dura. Os meus pais separaram-se muito cedo. Passei um bocadinho […]. A minha infância não foi fácil”, rememorou o fadista, acrescentando que fruto da separação dos pais ficou a viver com a mãe que “teve alguns problemas de saúde” e “não encarou muito bem a separação“. “Enfim à partes que eu já esqueci, porque como sofri bastante há coisas que apaguei da memória”, disse.

“A vida não era agradável”

A infância complicada toldou-lhe a dificuldade em “demonstrar o amor” e confessa que usa a sua arte como forma de expressar o afeto que mora no seu interior. Porém, antes de enveredar pelo mundo da música, Ricardo Ribeiro tinha outro sonho: o de ser padre. “Como eu tinha problemas, uma tentativa de suicídio…”, começou por explicar sem querer alongar-se sobre o tema.

“A vida não era agradável”: Ricardo Ribeiro recorda momento que o levou a tentar o suicídio

“Porque passei um bocadinho…. A vida não era agradável…o meu pai já cá não está, não vou explanar essas coisas… e então como estava tão saturado… Estive muito mal. A partir daí fiz algumas coisas que não devia ter feito e o meu pai pôs-me num colégio diocesano interno. Foi a melhor coisa que ele fez, porque conheci lá um homem maravilhoso, um padre que mudou a minha vida, porque era um homem de uma sabedoria, delicadeza e sensibilidade… uma coisa extraordinária. O Sr. Padre Manuel Alves “, contou.

Aos 39 anos, o cantor faz outra leitura sobre a educação que recebeu, nomeadamente por parte do pai, com quem mantinha uma relação difícil. “As pessoas são aquilo que podem ser e aquilo que conseguem ser. O meu pai era um grande homem, era uma pessoa extremamente inteligente e que me ensinou muita coisa. Só que, enfim, não soube lidar com as coisas de outra maneira, não foi capaz de ver as coisas e de lidar com as situações de uma outra maneira. Jamais o posso condenar por isso”, explicou.

Ricardo Ribeiro, um pai “ausente”

O fadista tem uma filha chamada Carolina, atualmente com 15 anos. Sobre a relação que mantém com ela, Ricardo Ribeiro assume, com toda a franqueza, ser um pai “ausente”, mas “um pai muito amoroso da sua filha”. “Ela mudou completamente a minha vida”, disse, admitindo que se penaliza “de quando em vez” por não estar tão presente fisicamente quanto desejaria.

“Ela é uma moça com muita cabecinha, muito atinadinha e muito ligada à música. Ela é muito madura para a idade que tem”, afirmou orgulhoso, garantindo que está “sempre em contacto” com Carolina. “Mas, claro, queria estar com ela muito mais vezes”, acresentou. “Separei-me da mãe dela, ela era muito pequena e houve uma dada altura – enfim, por patetices – a comunicação às vezes não era muito boa, mas hoje em dia temos uma relação muito boa”, afiançou sobre a filha.

Texto: Alexandre Oliveira Vaz; Fotos: Reprodução TVI

 

PUB
Top