Sozinha e desanimada: Rosa do Canto sem razões para sorrir na época festiva

Após a morte da mãe, a atriz Rosa do Canto, que adorava o Natal, celebrou a quadra de forma triste, principalmente agora que uma sobrinha foi sujeita a um transplante duplo de rins.

03 Jan 2021 | 11:40
-A +A

Na próxima novela da SIC, “Amor Amor”, que se estreia esta segunda-feira, a atriz Rosa do Canto dá vida a Lurdes, uma mulher que perdeu o marido e vive agora só para as filhas. “Está a ser um desafio muito agradável porque todos os atores vestiram muito bem as personagens. Eu divirto-me imenso com cada um deles”, contou, revelando ainda que a sua “personagem é uma mulher que adora as filhas.”

“A Joana Santos e a Mariana Pacheco são ambas atrizes fabulosas. A Lurdes é um bocadinho castradora, mas só por amor, porque não quer que as filhas saiam de ao pé dela, então vai inventando umas doenças para as reter”, revelou à TV 7 Dias.

Aos 67 anos, a atriz não tem mãos a medir a nível profissional. “Felizmente, ainda não parei. Fiz o ‘Golpe de Sorte’. Fizemos depois uma paragem por causa do confinamento e a produção, simpaticamente, continuou a pagar às pessoas, o que foi agradável. Depois, retomei e, imediatamente a seguir, entrei em ‘A Generala’ e fiz também a série ‘Voltar a Casa’. Agora, agarrei este projeto”, referiu.

A época de festas já acabou e a atriz assumiu que nos últimos anos tudo mudou. “Sempre gostei imenso desta época, agora causa-me alguma angústia, desde que morreram familiares muito próximos. O Natal era sempre passado em casa da minha mãe, mas infelizmente ela já faleceu há alguns anos. Depois, passava em casa de uma sobrinha. Este ano, uma das minhas sobrinhas teve que fazer um transplante duplo de rins por causa da diabetes. Agora, temos que ter imenso cuidado com ela, portanto vou passar o Natal em minha casa só com uma amiga minha que também não tem cá família”, contou, ainda antes da quadra festiva, recordando que “em criança adorava o Natal”.

“Lembro-me que a minha mãe me deu uma espécie de Nenuco e meteu-o no sapatinho como se fosse o Pai Natal. Os Natais eram sempre agradáveis e, como faço anos a 6 de janeiro, havia sempre festa esse tempo todo. A mesa estava sempre posta, era uma tradição”, lembrou.

Já a passagem de ano é diferente para a atriz. “Nunca achei graça. Possivelmente, vou passá-la sozinha em casa”, anteviu. Contudo, nem sempre foi assim. “Como comecei a trabalhar muito cedo, costumava passá-la a fazer espetáculos e a animar outros. Passava em cima do palco a brindar com o público, mas agora já não faço teatro há muito tempo.”

 

Rosa do Canto sobre Ivo Lucas: “É um momento de grande consternação”

 

A personagem de Rosa do Canto pertence ao mesmo núcleo de Ivo Lucas e a atriz mostrou-se bastante abalada com a tragédia que o colega está a viver. “É um miúdo novo e é um momento de grande consternação”, contou, acrescentando: “A personagem dele ia fazer de namorado da minha neta na história. Íamos contracenar bastantes vezes.”

E não poupou elogios ao talento do jovem: “Além do trabalho como ator, o Ivo canta extraordinariamente bem. Espero que regresse bem, deve estar completamente adormecido. Espero que ele supere esta perda, esta dor, que deve ser tremenda, e que o deixem viver.”

 

Texto: Neuza Silva (neuza.silva@impala.pt); Fotos: Helena Morais e reprodução redes sociais

 

(adaptação de artigo originalmente publicado na edição nº 1763 da TV 7 Dias)

PUB
Top