Suzana Garcia desaba em lágrimas com Goucha: “Eu senti o racismo! Eu vivi o racismo!”

Suzana Garcia não conteve a emoção ao partilhar com Manuel Luís Goucha “um dos episódios mais difíceis” da sua vida. Aconteceu na África do Sul, para onde a advogada foi viver aos seis anos.

28 Abr 2021 | 19:00
-A +A

Suzana Garcia ficou lavada em lágrimas na conversa que teve, na tarde desta quarta-feira, com Manuel Luís Goucha. Numa entrevista profundamente marcada pela sua candidatura pelo PSD à Câmara Municipal da Amadora, a advogada não conteve a emoção, precisamente, quando o assunto fugiu da política e foi instigada pelo apresentador a lembrar a sua passagem pela África do Sul.

Suzana Garcia foi levada para um colégio de freiras daquele país pouco tempo depois de ter completado seis anos. Um momento que, nas palavras do anfitrião das tardes da TVI, a deixou “magoada com o pai e zangada com a mãe”. Questionada sobre as diferentes reações que teve com um e com outro, a ex-comentadora de assuntos criminais da estação de Queluz de Baixo foi às lágrimas.

“O meu pai não estava. Tinha ido fazer um parecer científico à Bulgária. Fiquei magoada porque pensei que o meu pai me fosse… Proteger daquilo. Eu não gostei de estar na África do Sul”, disse, emocionando-se.

Porquê? “Porque era difícil para mim. Eu não sabia falar inglês, aquelas pessoas pensavam como eu não pensava…”, enumerou, detalhando “um dos episódios mais difíceis” da sua vida, passado, justamente, naquele país. “Eu tinha uma amiga indiana. Chamava-se Soraia. A diretora da escola tinha uma panca por mim, chegava perto de mim, olhava-me e dizia-me: ‘Ah, tão branca!’. Ela veio dizer-me que eu não podia brincar com ela“, recordou, com a emoção à flor da pele.

Suzana Garcia fez uma pausa na história para limpar as lágrimas. Voltando-se para Manuel Luís Goucha, atirou: “Você não devia ter feito isto! Está a fazer-me chorar. Ensinaram-me sempre que as rainhas não choram.”

Recomposta da emoção – mas só por segundos -, a advogada prosseguiu com o relato. “Lembro-me de querer brincar com a Soraia e olhar para a esquerda para saber se elas estavam a olhar. Havia um balouço preso na árvore e a miúda estava à minha espera debaixo da árvore. E ela não percebeu porque é que eu não fui ter com ela. Quando eu ia, meteram-me a mão no ombro. [Disseram-me:] ‘Nós não brincamos com eles’“, parafraseou, com as lágrimas a escorrerem-lhe pela cara.

Sem conseguiu conter a emoção, a candidata pelo PSD à autarquia da Amadora reagiu, na sequência da descrição deste episódio, às vozes críticas que a acusam de racismo. É por isso que me magoa tanto quando dizem que eu sou racista. É por isso que me magoa ter de estar ao lado da minha família e ser separada da fila… Não sabem o que é racismo. Eu sei! Porque eu o senti! Porque eu o vivi!”, disse, entre um tom de voz exaltado e emocionado.

A ida de Suzana Garcia ao programa “Goucha”, vale a pena lembrar, aconteceu poucos meses da sua saída como comentadora da TVI. Na altura, a mesma em que Cristina Ferreira voltava como Diretora de Entretenimento e Ficção, a advogada disse à NOVA GENTE viver-se “um clima de medo” na estação e fez duras críticas à apresentadora – que pode recordar aqui. Sobre o assunto, na entrevista desta quarta-feira a Manuel Luís Goucha, nem uma palavra.

 

Texto: Dúlio Silva; Fotos: reprodução TVI e redes sociais

PUB
Top