Conheça TODA A HISTÓRIA sobre a BURLA que envolve Carolina Roque!

Anabela Dias conta toda a história sobre o escândalo que envolve Carolina Roque e João Pedro Filipe. A burlada revela os detalhes da tragédia que assombrou a sua vida.

05 Fev 2019 | 20:05
-A +A

Anabela Dias tem 48 anos e viu a sua vida mudar drasticamente depois de ter agido de boa-fé com alguém em quem pensava poder confiar. Residente em Sintra, vê-se numa situação de miséria depois de ser burlada em 600 mil euros por um jovem de 22 anos. Anabela Dias, que acompanhava o programa da TVI Love On Top, quis conhecer Bruno Esteves e Carolina Roque, na altura namorados. Depois de combinarem um almoço e de afirmar ter-lhes oferecido «algumas coisas, porque quis», a burlada criou uma relação de proximidade com a ex-concorrente do reality show da TVI Carolina Roque.

«Pediu-me para ficar responsável pela casa dela. Não foi algo que me agradasse muito, mas depois acabei por aceitar. Acabei por controlar as contas dela e por pagar algumas coisas. Que depois apresentei na altura», conta, referindo tratar-se de rendas da casa da jovem, tendo esta uma dívida de seis mil euros para com Anabela.

Leia mais: Ex-Love On Top ENVOLVIDA em burla de MILHARES DE EUROS!

 

Foi nesta altura, em finais de 2016, que Anabela Dias conheceu o jovem que viraria a sua vida do avesso. João Pedro Filipe é amigo de Carolina Roque. Anabela conheceu-o quando a jovem da Quinta do Conde se encontrava no programa da TVI, uma vez que João Pedro era o contacto que Carolina tinha deixado para que lhe fossem entregues vestidos para as galas do programa. «Encontrei-me várias vezes com ele para receber os vestidos e, entretanto, começámos a falar. Na altura, o pai dele faleceu e surgiu uma série de problemas. Depois foi um desenrolar de situações», conta, explicando que foi a partir daqui que começou o pesadelo.

«O João Pedro pediu ajuda para essa situação. E eu ajudei. Durante ano e meio foi um rol de situações que me foram apresentadas. Chego agora à conclusão de que foi tudo mentira», afirma.

Droga, mortes e dívidas motivavam transferências

«O João Pedro dizia que andava nos meandros da droga e que podia haver problemas se a minha cliente falasse», conta o advogado de Anabela, José Castro. Acreditando que o jovem dizia a verdade, Anabela viu-se envolvida numa história na qual estava cada vez mais envolvida, mesmo sem querer. As alegadas chantagens que João Pedro recebia por parte do chefe do esquema de droga onde estava inserido e as chantagens que eram, alegadamente, feitas a Carolina Roque em troca de dinheiro levaram a que Anabela transferisse valores avultados para o jovem. «Para não fazerem mal à Carolina, acabei por resolver», revela, assumindo que eram feitas transferências da sua conta para a de João Pedro.

Além das histórias relacionadas com o tráfico de droga, o jovem terá ainda pedido dinheiro para as despesas do funeral do pai, para dívidas por causa de operações da mãe e outras questões relacionadas com finanças. Anabela conta que a história ganhou estes contornos porque para reaver o dinheiro acabava por meter mais dinheiro. «Eu queria ver o meu dinheiro e estava sempre a meter dinheiro para ver se resolvia os problemas», diz.

Veja ainda: EXCLUSIVO: Carolina Roque sobre Patrícia: «Vou desmascará-la»

 

Anabela Dias não travou a situação a tempo de evitar uma tragédia. Mostra-se envergonhada. «Só mesmo estando no meu papel e com as situações que me foram apresentadas… Não fiquei maluca porque não calhou. Eu sei que parece muito estranho, mas só passando por isto. Tentei não explorar certos assuntos para me proteger, e ao meu pai.»

Anabela Dias ficou sem trabalho, sem amigos e sem dinheiro para comer

Envolvida num esquema do qual não conseguia sair, viu o seu dinheiro desaparecer da conta bancária, sendo ainda obrigada a pedir ajuda à família e a amigos para colocar fim a este pesadelo. «Ainda criei dívidas ao pedir dinheiro a outras pessoas para resolver estes assuntos. Fiquei sem nada  e ainda tenho muita coisa para resolver», refere, acrescentando que «mesmo para alimentação tinha alguma dificuldade». Por se deslocar várias vezes ao banco para fazer depósitos a João Pedro, Anabela acabou por ser despedida. «Eu era secretária particular e trabalhava nos Recursos Humanos e na parte financeira de um colégio em Sintra. Mas com tantas saídas, ao longo do dia, para resolver estas questões, a minha concentração também não era a mesma», conta. Hoje, ano e meio depois do início da burla, a ex-secretária sente-se arrasada.

«Sinto que fui enganada pelo João Pedro. E, se calhar, não só. Nas mensagens dizia que me considerava uma segunda mãe. E dá-me uma facada destas… Deixou-me de rastos. Sem dinheiro, sem trabalho e a ter de recomeçar a vida do zero. Estou muito cansada porque isto desgasta. Perdi 20 e tal quilos com esta história toda», desabafa, em lágrimas

Foi neste momento mais difícil que Anabela percebeu com quem poderia contar. «Quando eu tinha dinheiro, toda a gente andava à minha volta. Agora, conto pelos dedos os amigos», lamenta.

O aviso de que estaria a ser enganada

Sem prever, e já as muitas histórias supostamente inventadas corriam, Anabela é alertada por uma ex-concorrente de Love On Top quanto a João Pedro. «Atenção, Anabela, ele não é bem como tu pensas», revela a burlada. Confrontando o jovem sobre as informações que lhe eram passadas por ex-concorrentes do reality show da TVI, Anabela diz que este desmentia todos os factos. «Houve uma concorrente do Love On Top a dizer ‘este é o telefone da mãe do João’. E eu liguei.» A senhora confirmava ser mãe do jovem, mas revelou que «nunca foi operada, como este dizia ao apresentar valores para as despesas». Existindo um novo confronto com João Pedro, sempre por telemóvel, este dizia não tratar-se da mãe mas sim da tia, conseguindo assim que Anabela acreditasse na história.

«Arrisca-se a uma prisão efetiva que pode ir até 8 anos», refere o advogado

No total, foram transferidos «cerca de 600 mil euros» por Anabela para duas contas de João Pedro. José Castro – o advogado – especifica que, «até março de 2017, estamos a falar de 170 mil euros», tendo o jovem «assinado declarações de dívida nesse valor». «De março de 2017 até ao fim de 2018, estamos a falar de 430 mil euros. Existem pedidos grandes, alguns de 5 mil euros, 10 mil euros», acrescenta o advogado. «A meio de 2018, começaram a ser feitos pedidos com quantias mais pequenas – de 10 euros, de 70 euros –», alegadamente para «despesas bancárias». «Estamos perante um caso claro de burla», que pode levar o jovem a uma prisão efetiva de até oito anos.

«Apesar de existir alguma coação indireta, não se confunda coação com burla. Se fosse tudo verdade, o senhor João Pedro devia apenas este dinheiro. Mas isto é tudo mentira. É tudo embuste, factos falsos. Usou de astúcia, burlou-a, contou-lhe um mega conto do vigário. Arrisca-se a prisão efetiva que pode ir até aos oito anos», esclarece o advogado.

João Pedro Filipe é arguido neste caso, ainda em fase de inquérito. Carolina Roque é apenas testemunha. Neste momento, a defesa de Anabela Dias está a reunir todas as provas que serão depois apresentadas em tribunal.

Texto: Marisa Simões; Fotos: Paula Alveno

PUB