Traficante que VENDEU DROGA a Demi Lovato revela: «Ela sabia o que estava a fazer»

Brandon Johnson era o ‘dealer’ de Demi Lovato e fez algumas revelações polémicas relativas à overdose da cantora norte-americana.

27 Ago 2018 | 16:06
-A +A

O vendedor de droga que fornecia os estupefacientes a Demi Lovato vem agora pela primeira vez a público para falar sobre o caso de overdose que chocou o mundo. Brandon Johnson acusa Demi pelo sucedido na madrugada de terça-feira, dia 24 de julho. Lovato esteve entre a vida e a morte depois de sofrer uma overdose que a deixou hospitalizada.

Em declarações ao site do TMZ, Brandon refere que a super estrela insistiu para estar com ele na noite do acidente, acrescentando que ela estava completamente ciente dos riscos em tomar comprimidos sem receita médica na sua casa, em West Hollywood.

O dealer apelida esse produto de ‘after market’ (comprimidos que já não se encontram em circulação). Brandon afirma que recebeu uma mensagem às quatro da manhã em que a cantora lhe pedia para ir ter a casa dela. O narcotraficante declara que ‘leu as entrelinhas’ e lhe levou compridos para ingerirem juntos.

 

«Sabia a 100% aquilo que estava a fazer»

 

«Ela tem longas horas de trabalho e dias stressantes, então queria relaxar. Sabia a 100% aquilo que estava a fazer. Entendeu tudo completamente», confessou o vendedor de droga ao site TMZ.

Quanto aos comprimidos, Johnson refere que Demi tinha a plena noção de que não eram farmacêuticas e que eram «muito mais fortes». OTMZ garante saber que Brandon arranjava esses comprimidos no México, muitos deles com fentanil na sua constituição.

Trata-se de uma droga 50 vezes mais potente do que a heroína usada para dores associadas com o cancro e outras doenças. Atualmente, é um opiáceo que está a alarmar os Estados Unidos da América por ser muito mais barata que a heroína, bem como por ter um efeito mais poderoso e imediato, aumentando o risco de morte por overdose.

Consumiam drogas juntos

 

Brandon revela, ainda, que era habitual consumirem drogas juntos e que até tiveram um envolvimento sexual. Porém, segundo o mesmo site, fontes próximas de Demi negam estas insinuações.

Veja ainda: Demi Lovato esteve ENTRE A VIDA E A MORTE

 

Johnson diz ter saído de casa da cantora por volta das sete/ oito da manhã, enquanto Demi estava a dormir tranquilamente. Foi às 11h30 da manhã que uma assistente de Demi ligou alarmada para a linha de emergência médica. A cantora acabou por ser salva por Narcan, um antídoto administrado nos casos de intoxicação por overdose.

 

As verdadeiras causas da overdose

O site TMZ avança que a overdose de Demi foi desencadeada por comprimidos constituídos por oxitocina e fentanil, provenientes do lote fornecido por Johnson.

Atualmente, Demi já teve alta hospitalar e encontra-se numa clínica de reabilitação.

Vários amigos de Demi disseram ao TMZ que sabiam que Johnson saía muito com a cantora e também sabiam que ele era uma má companhia, garantindo que irão fazer tudo o que está ao seu alcance para mantê-lo longe dela.

Fotografias: Reuters

 

 

PUB
Top