Tragédia do Meco: madrugada que destruiu seis famílias aconteceu há seis anos

Há seis anos, um grupo de sete estudantes decidiu ir de madrugada para a praia do Meco. Uma onda ceifou a vida de Catarina, Andreia, Carina, Joana, Tiago e Pedro. Apenas João sobreviveu.

15 Dez 2016 | 10:35
-A +A

A 15 de dezembro de 2013, seis estudantes da Universidade Lusófona desapareceram nas águas da praia do Meco, em Sesimbra, arrastados por uma onda. A tragédia marcou, durante meses a fio, a atualidade noticiosa.

Foram precisas quase duas semanas para que todos os corpos fossem recuperados. O último apareceu a 26 de dezembro. Catarina Soares, Andreia Revez, Carina Sanchez, Joana Barroso, Tiago André Campos e Pedro Tito Negrão perderam a vida durante um ritual de praxe académica.

Mesmo depois das cerimónias fúnebres, a luta das famílias na justiça para apurar a verdade continuou. Sem respostas. O processo foi arquivado e não houve quaisquer responsáveis.

João Gouveia foi o único sobrevivente desta tragédia. O jovem estudante terá, alegadamente, telefonado para a Polícia Marítima e dado o alerta. Os jovens pertenciam todos à Comissão Oficial de Praxes Académicas da Lusófona (COPA).

 

Texto: Raquel Costa | Fotos: Arquivo Impala e redes sociais

 

Veja mais:
Tiago Teotónio Pereira regressa ao Meco após tragédia

 

PUB
Top