Tudo sobre a expulsão de Catarina Miranda contado por José Eduardo Moniz

A expulsão de Catarina Miranda e o alegado boicote da TVI, a violência no Big Brother, Cláudio Ramos, a saída de Maria Botelho Moniz das manhãs e de quem foi a decisão. Moniz revela tudo.

29 Mai 2024 | 23:05
-A +A

José Eduardo Moniz é o homem forte da TVI. O diretor-geral da estação de Queluz de Baixo esteve à conversa com a TV 7 Dias e respondeu a todas as polémicas que envolvem programas e pessoas do canal. A mais recente foi a expulsão de Catarina Miranda do Big Brother, e que chama para si a responsabilidade da decisão, até porque é ele o diretor-geral.

“Era inevitável depois do que se passou. Foi uma decisão discutida internamente e que reuniu o consenso generalizado”, começa por dizer em exclusivo à nossa revista. Moniz relembra que esta não é uma decisão inédita e lembra outro caso. “Fizemos isso logo no primeiro Big Brother, [N.R.: O célebre pontapé de Marco Borges a Sónia Veiga], aconteceu uma situação, que não sendo idêntica a esta, é muito parecida e nós agimos da mesma forma. Não gostamos de violência na sociedade em geral, muito menos num programa de televisão. Tem de haver um mínimo de valores reconhecidamente válidos”, acrescenta o responsável.

O diretor-geral reconhece que não foi intencional, mas salienta a gravidade da situação quando o copo de vidro se parte. “A verdade é que a Catarina deu um passo em falso, o que não significa que nós não reconheçamos os méritos dela, as qualidades e as ambições que ela possui. Agimos como teríamos de agir na circunstância que ela protagonizou”, diz.

José Eduardo Moniz põe os pontos nos “is” em todas as polémicas da TVI. Para ler na revista TV 7 Dias em banca.

TV 7 Dias

Texto: Ana Lúcia Sousa (ana.lucia.sousa@worldimpalanet.com)
Fotos: Arquivo Impala, Carlos Mendes e Reprodução TVI
PUB