EXCLUSIVO! TVI confirma «processo de reestruturação» e não nega mais saídas

Fonte oficial da TVI admite que, nos próximos meses, «podem entrar umas pessoas e sair outras» da redação do canal. Com a saída do Diretor da TVI África, o canal fica sob a alçada de Nuno Santos.

29 Fev 2020 | 16:50
-A +A

«Como é do conhecimento público, está a haver um processo de reestruturação da empresa», confirma fonte oficial da TVI à TV 7 Dias. A resposta surge pouco tempo depois de a nossa revista ter noticiado, em exclusivo, que Constança Cunha e Sá e João Maia Abreu juntam-se a Paula Magalhães no grupo de jornalistas que acordou com a administração do canal uma saída depois de vários anos de casa.

O «processo de reestruturação» ao qual esta fonte se refere está, claro, ligada à aquisição da Media Capital, que tutela a estação, pela Cofina, que detém meios como o Correio da Manhã e a CMTV. O negócio está em vias de concretizar-se, depois de os vários reguladores não terem colocado objeções à compra. De resto, a mesma fonte aponta para daqui «a dois ou três meses» a data na qual se conhecerá o futuro da empresa.

Por isso mesmo, não fica de parte a possibilidade de mais rostos abandonarem a Informação da TVI. Nem essa nem a da entrada de outros profissionais. «Podem entrar umas e sair outras», diz apenas à TV 7 Dias.

Quanto à Direção da TVI África, entregue até agora a João Maia Abreu, fonte oficial do canal de Queluz de Baixo esclarece que não será feita, para já, uma nomeação, ficando o canal «sob a alçada de Nuno Santos». Foi este o nome escolhido, recorde-se, pela administração de Luís Cabral para, desde janeiro, assumir a Direção de Programas da TVI, em substituição de Felipa Garnel, que só resistiu no cargo seis meses.

 

Quem sai e quem recusou acordo?

 

Para já, e depois da saída de Judite Sousa da Direção de Informação da TVI, em novembro do ano passado, a área liderada por Sérgio Figueiredo disse, em apenas uma semana, adeus a três jornalistas com uma relação histórica com o canal. O nome de Paula Magalhães foi avançado pela própria nas redes sociais.

Constança Cunha e Sá, antiga editora de Política da TVI e que era atualmente comentadora e moderadora do programa político Prova dos 9, transmitido pela TVI24, também chegou a um acordo com a administração do canal, segundo apurou a TV 7 Dias junto de uma fonte próxima da estação.

Como referido, João Maia Abreu foi igualmente convidado a sair. No caso deste, o seu último dia nos corredores da TVI foi esta sexta-feira. Na estação desde 1999, chegou a ser correspondeste em Bruxelas e acompanhou no terreno alguns dos acontecimentos mundiais mais importantes da década de 2000.

Maia Abreu assumia desde 2010 a Direção do Gabinete dos Novos Canais, entre os quais a TVI África. Isto já depois de ter sido Diretor de Informação da TVI e o primeiro Diretor da TVI24, cargos dos quais se demitiu aquando a polémica suspensão do Jornal Nacional – 6ª Feira, apresentado por Manuela Moura Guedes até 2009.

Outra fonte ligada ao canal revela ainda à TV 7 Dias que Jorge Nuno Oliveira também estava na lista de rescisões que o canal pretendia fazer. Porém, o jornalista declinou o acordo, garante a mesma fonte. Atualmente, Jorge Nuno Oliveira é um dos editores do Jornal da Uma, do canal generalista.

 

«Saídas magoaram muito as pessoas»

 

Apesar de Paula Magalhães, a única que até agora se pronunciou publicamente acerca da sua saída da TVI, ter demonstrado que deixa Queluz de Baixo com um sorriso no rosto, a TV 7 Dias sabe que o adeus aos três profissionais, todos eles dos quadros da empresa, não deixaram os visados indiferentes.

«Estas saídas magoaram muito as pessoas. Estavam aqui há tantos anos… A Paula fez parte da equipa que fundou a TVI. O Maia também estava praticamente desde o início. Quase que sentem que os estão a pôr em causa, ao fim de tantos anos de entrega a esta casa. Devem pensar: ‘Será que já não sirvo?’», desabafa uma fonte do canal à nossa revista.

 

Texto: Dúlio Silva; Fotografias: Arquivo Impala

PUB
Top