Um ano depois, o «sonho» é real e Cristina assustou (e de que forma!) a concorrência

Há precisamente um ano, O Programa da Cristina tinha o seu ‘dia 0’ com a apresentação à imprensa do formato que viria a revolucionar a forma como o público vê o day time. Que o digam as audiências.

13 Dez 2019 | 9:50
-A +A

Estávamos a 13 de dezembro de 2018 quando o Páteo Alfacinha, em Lisboa, se agigantou para receber com pompa e circunstância O Programa da Cristina, cujo cenário ainda estava longe de ser uma realidade. As ideias já eram, contudo, muitas. Mas sobre elas Cristina Ferreira pouco levantou a ponta do véu naquela manhã.

Foi naquele local que a SIC deu o pontapé de partida do seu novo matutino com a aguardada apresentação à imprensa do mesmo. O burburinho era barulhento, coadunando-se com o alarido criado em redor da milionária transferência da malveirense da TVI para a rival após 16 anos passados em Queluz de Baixo.

Foi o ‘dia 0’ para aquele que viria a ser o programa que ia fazer a estação de Paço de Arcos recuperar a liderança há muito perdida para a até então indestrutível dupla televisiva formada por Manuel Luís Goucha e Cristina Ferreira. E a comunicadora prometeu que iria mostrar «um bocadinho mais da Cristina que [os espectadores] ainda não viram». E para isso tinha como ingredientes «emoção, sentimento e surpresa».

 

(Re)Veja as imagens daquela manhã na galeria!

 

O objetivo da também empresária era «tentar que as pessoas do outro lado ficassem agarradas à emoção». Bem dito, bem feito. O «programa de sonho», como então apelidou Cristina, prendeu o público ao pequeno ecrã desde a emissão inaugural, marcada para o dia 7 de janeiro seguinte.

«Vou fazer tudo para que o programa seja o melhor, sem pensar muito em concorrências e em quem está do outro lado», garantiu ainda. A concorrência não pensou o mesmo. Com Maria Cerqueira Gomes no lugar deixado vago por Cristina Ferreira no Você na TV!, a TVI não conseguiu impor-se na luta pela liderança. O cenário inverteu-se logo na estreia d’O Programa da Cristina e não mais se inverteu.

A apresentadora já tinha avisado, de resto, que queria «ganhar». «Eu, como é óbvio, também quero. Quanto tempo isso vai levar e de que forma vai acontecer, é o futuro [a decidir]», afirmou.

Mal Cristina sabia que bastava a emissão inaugural do novo matutino da SIC, com um surpreendente telefonema do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e uma entrevista ao líder do Benfica, Luís Filipe Vieira, para a liderança ser sua. E somente sua. Com a concorrência mais ou menos assustada. «Não quero saber se a concorrência está assustada. Nós estamos muito felizes com o nosso projeto e queremos muito mostrá-lo», vincou, naquela manhã, aos jornalistas.

A 7 de janeiro, Cristina Ferreira pôde finalmente dividir com o público o projeto que tinha fechado a sete chaves. E 531,7 mil espectadores escolheram acompanhá-lo, contra as 343 mil pessoas que optaram por ver o concorrente Você na TV!.

A emissão mais vista deu-se cerca de dois meses depois, em plena terça-feira de Carnaval. Foi nesse dia, a 5 de março, que Cristina Ferreira abriu a porta da sua (segunda) casa ao primeiro-ministro, António Costa. Estiveram sintonizados, em média, 745 mil espectadores, uma elevada audiência para a qual poderá ter contribuído o facto de ser feriado.

 

VEJA TAMBÉM:
E a questão sobre testosterona? Cristina justifica ausência de pergunta a Ângelo
Presentes de luxo! Cristina Ferreira oferece sapatos de 800 euros a Goucha
Cristina anuncia gravidez em direto e deixa Cláudio Ramos de boca aberta

 

Texto: Dúlio Silva; Fotografias: Impala

PUB
Top