“Uma ‘bomba-relógio’ na cabeça”: Pedro Carvalhas esteve entre a vida e a morte

Pedro Carvalhas revelou, durante uma entrevista intimista com Manuel Luís Goucha, na TVI, que correu risco de vida. O jornalista explicou o que aconteceu.

11 Jan 2022 | 20:15
-A +A

Aos 43 anos, Pedro Carvalhas sofreu um aneurisma cerebral. Hoje, com 53 anos, o jornalista da TVI abriu o coração a Manuel Luís Goucha e, numa conversa intimista, recordou a delicada fase em que esteve em risco de vida. O relato aconteceu no formato “Goucha” desta segunda-feira, 10 de janeiro.

O alerta chegou com uma dor de cabeça. “Uma semana depois de ter tido uma dor de cabeça. Os médicos chegaram à conclusão que a dor de cabeça tinha surgido de uma hemorragia sentinela, que é uma pequena hemorragia, e que, normalmente, antecede uma enorme hemorragia que pode ser fatal”, começou por contar Pedro Carvalhas.

Depois de o rosto informativo do “Esta Manhã” ter sido informado que tinha uma “bomba-relógio” na cabeça, tornou a fazer novos exames e teve de ser operado de urgência: “Eu não sabia o que era um aneurisma”.

“No momento em que estou no quarto do hospital, pensei um bocadinho. Pensei: ‘Isto pode não correr bem’”, confessou a Goucha. Foi nesse momento que Pedro Carvalhas decidiu deixar uma carta de despedida à mulher, Ana Seixas, e aos seus três filhos: Bernardo, Maria e Manuel.

“Agarrei-me ao telefone e escrevi para a Ana e para os miúdos (…) Sei que começava assim: ‘Meus queridos, a mãe disse várias vezes que as coisas não acontecem só aos outros’. De resto, não me lembro.”

Pedro Carvalhas confidenciou ainda que o texto nunca foi lido por ninguém, nem o próprio voltou a reler as suas palavras. “Eu próprio não voltei a ler”, rematou.

Veja aqui o momento.

 

Texto: Carolina Sousa; Fotos: Redes Sociais  

 

PUB