Vanessa Martins ASSUME que vai CONTINUAR A METER BOTOX: «Prefiro ADMITIR»

Vanessa Martins é uma mulher bastante dedicada ao desporto e à condição física. Este é o ano em que ficará mais fit, mas a blogger garante que é muito insegura. Leia a entrevista

23 Mar 2019 | 10:30
-A +A

Vanessa Martins é adepta do desporto e do estilo de vida saudável. No Instagram, a empresária de 32 anos, que conta com mais de 510 mil seguidores, dita tendências de moda, beleza, lifestyle e também é uma inspiração para quem procura um estilo de vida mais saudável. Tem uma silhueta  invejável, treina todas as semanas e faz questão de partilhar a sua rotina nas redes sociais.

O site da Revista Maria esteve à conversa com a mulher de Marco Costa, esta quarta-feira (20), no evento Tendências e Sabores da Margão onde, entre muitos assuntos, falou da sua rotina diária, da alimentação que pratica diariamente e ainda da mais recente intervenção estética que fez ao rosto. Vanessa explica quem cozinha lá em casa, fala da insegurança física e também do preconceito que sente, por ser figura pública, ao fazer certo tipo de coisas.

Leia a entrevista completa:

 

É a Vanessa que cozinha lá em casa ou é o Marco?

Às vezes sou eu, outras é o Marco. Também comemos muitas vezes fora. Somos bastante práticos na nossa alimentação.

E quem faz as compras?

Sou eu. Sou muito rápida. Todos os sábados vou buscar fruta e legumes ao mesmo sítio. Depois vou ao supermercado. Nunca como muita carne em casa porque não sei cozinhar muito bem mas comemos muito peixe.

Quando é que decidiu ter um estilo de vida saudável? Sempre foi assim?

Tenho uma alimentação saudável e equilibrada há cerca de dez anos. Antes não tinha atenção nenhuma.  Aos 26 comecei a ver que não havia resultados, não aumentava de peso, treinava e ficava muita vezes doente então comecei a perceber (não é uma coisa que não soubesse) que é na alimentação que vamos buscar as nossas forças, a energia e a saúde. Por isso, comecei a mudar esse aspeto.

Veja também: Vanessa Martins VAI À FACA e METE BOTOX NA CARA. Veja como ela está!

 

Vivendo com um pasteleiro [Marco Costa] não cai em tentação?

Não temos doces em casa porque ele não cozinha em casa. Faz na fábrica. Raramente leva. Ele sim, é o mais guloso. Come mais… Se levar é para experimentar. Não é a base da minha alimentação. Experimento e tenho todo o gosto de saber o que ele faz mas não faz parte da nossa cozinha lá em casa.

O Marco também segue a mesma alimentação ou dá mais facadinhas na dieta?

Ele gosta de tudo. E temos uma alimentação variada. Eu tento puxar pelo lado mais saudável mas às vezes é difícil porque ele é muito guloso e não tem cuidado com o que come. Mas lá em casa tentamos ser o mais saudável possível.

Disse que este ano [2019] seria o seu ano fit. Porque disse isso?

Eu digo sempre isso mas este ano gostava mesmo [que fosse] porque vou fazer 33 anos. É uma mudança de ciclo. E queria mesmo que fosse o meu ano fit porque sinto-me melhor do que se calhar quando tinha 23 anos.

Colocou botox no rosto. Foi a primeira vez que fez uma intervenção estética?

Estética não. Coloquei peito quando tinha 23 anos e sim fiz uma prevenção porque a minha pele tem muita tendência a rugas. A minha pele é super sensível, é péssima, quebra imenso porque é muito seca ao contrário da da minha mãe que tem uma pele oleosa. Eu sou o contrário. E isso era uma insegurança minha. Conheci o botox, que é um bicho papão para muita gente, vi resultados incríveis, quis fazer também e estou muito satisfeita.

Quando é que fez pela primeira vez?

Já faço botox na testa desde os 26 anos e fiz agora na zona dos olhos pela primeira vez há 15 dias no Doutor Filipe Magalhães Ramos.

Já não tem rugas?

Gostei do resultado porque não sabia que se podia colocar botox nesta zona e ele clarificou-me que é possível, em quantidades pequenas, até porque o botox ou qualquer toxina é absorvido pela pele por isso sai tudo pela urina. É uma coisas bastante natural. Não é nada definitivo. É uma coisa que me faz sentir bem e, lá está, acho que o meu dever também é um bocadinho isso, quebrar esses estereótipos de que botox é horrível. Eu não me sinto um plástico porque acho que as pessoas têm um bocado essa ideia. No meu caso, sempre vivi na base da descrição, que era ter um aspeto saudável e sinto-me bem comigo mesma, sem exageros.

Veja também: Vanessa Martins REVELA como superou SEPARAÇÃO de Marco Costa

 

Vai continuar?

Sim, sem problema nenhum. Preferido admitir do que fazer como muitas pessoas que conheço que dizem que não e na verdade andam a enganar-se umas às outras. Não é correto, numa sociedade moderna, andarmos a fingir que é tudo perfeito. É tão feio. O perfeito ainda está para nascer. Não tenho problema nenhum em admitir e o feedback foi positivo.

Necessitou de ter algum cuidado em especial?

É mais fácil do que ir ao dentista. Passados 2-3 dias começa-se a ver os resultados. A palavra é mais assustadora do que é na realidade. As pessoas põem pestanas, põem unhas de gel. As mulheres fazem o que querem e isto faz parte do processo. Espero que no futuro, tal como no Brasil, se fale das coisas mais abertamente e sem julgamentos. Se tivesse à espera da aprovação dos outros eu nunca teria feito nada na minha vida. Eu nem sequer teria casado com o Marco por causa do preconceito. Eu nunca teria posto botox. Por isso eu não vou deixar de viver a minha vida pelo que os outros pensam. Os outros que pensem na vida deles em vez da minha. Quem pôs fui eu, quem pagou fui eu, quem casou fui eu e esse preconceito está na cabeça das pessoas porque no meu nunca esteve.

«Não gosto muito de cozinhar»

Gosta de seguir as tendências e experimentar coisas novas ou faz o seu próprio ritual alimentar?

Eu gosto de experimentar coisas novas mas sempre que tento, às vezes, corre um bocadinho mal. O ano passado [2018], no evento da Margão, tive conhecimento de várias especiarias e comecei a experimentar algumas. No evento até cheguei a dizer que a minha comida sabia sempre ao mesmo. Eles disseram que eu devia estar constantemente a usar os mesmos ingredientes ou condimentos e depois dava sempre o mesmo sabor. Existem uns [as especiarias] que são mais apropriados para carne. Outros para o peixe. Outros para as saladas. E eu usava igual para tudo. Então não funcionava muito bem.

Adoptou essas técnicas em casa?

Eu não gosto muito de cozinhar. Gosto muito de comer, sou muito prática na minha alimentação, mas não tenho assim tanto prazer a cozinhar. Por vezes até fico decepcionada com aquilo que acabei de cozinhar. Mas estas novas tendências salvam um bocadinho os nosso pratos para não saberem sempre ao mesmo. Especialmente as saladas.

Os seus pratos melhoraram?

Ligeiramente. É uma ajuda mas não é um milagre. Aprecio imenso quem sabe e quem gosta de cozinhar.

Texto: Márcia Alves | Fotos: Zito Colaço e Reprodução Instagram

PUB