Vanessa Martins revela que pondera adotar uma criança

Vanessa Martins respondeu a várias perguntas dos fãs sobre endometriose e maternidade e, numa das respostas, referiu que a adoção é uma possibilidade.

02 Mai 2022 | 19:30
-A +A

No dia da Mãe, 1 de maio, Vanessa Martins voltou a dar espaço aos seguidores para lhe colocarem algumas questões sobre a endometriose, recordando a fase aguda da doença – com aderências nos intestinos – antes de ser submetida a uma intervenção cirúrgica.

“Como aguentaste esses quatro anos de tentativas para engravidar com dores?”, foi a questão de um internauta, o que levou a empresária a ser honesta na sua resposta. “Foi a pior fase da minha vida. Dores, milhões de exames, infertilidade, inseminações, cirurgia, FVI”, recordou. “Não vivi, sobrevivi. Escolhi ficar eu bem. Escolhi-me a mim. Agora estou bem”, desabafou Vanessa Martins, que descobriu a doença quando deixou de tomar a pílula para tentar ser mãe, na altura em que ainda estava casada com Marco Costa.

Numa outra questão, um fã quis saber se a empresária irá conseguir engravidar de forma natural. “A minha médica diz que sim. Se não for natural, é com ajuda. Se não der com ajuda, meto uns papéis. Se não der adoção, fico com o Sadik [cão]” escreveu, explicando que já não vive com a pressão da maternidade, pois a vida pode ter outros planos para si.

Vanessa Martins contou ainda que depois da cirurgia deixou de ter menstruação. “Tomo a pílula interruptiva para não ter nem dores, nem crises. E como é uma doença crónica, se não for acompanhada a endometriose pode voltar. Há um mês, tive consulta e vou começar a menstruar a cada três meses porque o meu peito (como já repararam) inchou imenso e achamos que pode ser por essa razão hormonal”, explicou, aconselhando ainda as seguidoras a procurarem ajuda especializada sempre que percebam que algo está errado com o seu corpo: “Não normalizem as dores menstruais, Troquem de médico até encontrarem alguém que vos ajude”.

Veja todas as respostas de Vanessa Martins na nossa galeria de imagens.

Texto: Carla S. Rodrigues; Fotos: Reprodução redes sociais

PUB