Vera Kolodzig fala dos vícios de Diogo Amaral e revela: “Sinto-me feliz sozinha”

No “Alta Definição” da SIC, Vera Kolodzig abordou a separação de Diogo Amaral e como o problema de drogas do ator afetou a relação de ambos. Falou também do filho e da fase feliz que atravessa.

23 Jan 2021 | 18:05
-A +A

Vera Kolodzig abordou a separação com Diogo Amaral e como o problema de drogas do ator afetou a relação de ambos, no “Alta Definição” da SIC, à conversa com Daniel Oliveira, neste sábado, dia 23 de janeiro.

A atriz e Diogo Amaral separam-se em 2017. Fruto desse amor nasceu Mateus, hoje com 6 anos. “O Diogo tinha um problema de adições e claro que isto vai afetar as relações mais próximas”, disse e acrescentou: “Mas não era só esse o problema. Era também eu o permitir.”

Separação? “A responsabilidade é dos dois

A atriz confessou que assumiu igualmente responsabilidade na separação. “Uma relação que não corre tão bem e que pode ter partes mais tóxicas ou mais desafiantes, acho que a responsabilidade é dos dois. Se alguém está infeliz com uma relação e se existe uma agressividade do outro lado, não podemos por a culpa no outro, porque também é responsabilidade nossa. Foi isso que aprendi”, confessou.

A separação entre ambos aconteceu gradualmente. “Uma pessoa não se separa de um momento para o outro.  Na realidade já estávamos separados há mais tempo do que aquilo que dissemos ao público”, afirmou.

“Tive um momento de ansiedade muito grande na altura em que o Diogo [Amaral] foi internado”

E, o momento em que Diogo Amaral enfrentava um problema de drogas, mais concretamente durante a altura em que foi internado, Vera Kolodzig sentiu medo pelo ator e receio pelo filho, Mateus. “Tive um momento de ansiedade muito grande na altura em que o Diogo [Amaral] foi internado e eu estava muito preocupada com o Mateus e com ele, claro. Olhei para mim, eram 15 horas da tarde e estava deitada na cama de hotel com o meu coração a bater, com muita força, e estava muito triste. E de repente pensei ‘o que está acontecer comigo?’”, contou, revelando que a espiritualidade, meditação e o autoconhecimento foram pilares que a ajudaram a ultrapassar esta fase.

Apesar de cada um seguir o seu caminho, Vera frisou que são “amigos”: “Nunca deixamos que nenhum conflito nosso passasse para ele.” De momento, a atriz que participa na série “O Clube”, da OPTO, e está a passar uma ótima fase. “Acho que o que veio a seguir acabou por ser muito melhor”, disse e reforçou: “Gosto muito da minha companhia (…) sinto-me feliz sozinha.”

Vera Kolodzig recorda a morte do pai e a falta de afetos

A atriz é a filha mais nova de cinco irmãos. Num recuo ao passado, Vera Kolodzig contou que a sua infância foi passada sem grandes afetos por parte dos pais. “A minha família nunca foi de muitos afetos físicos”, revelou. Por essa razão, a mãe Mateus afirmou que tenta recompensar a ausência de carinho no seu crescimento com o filho. “Na relação com o meu filho acho que tento compensar um bocadinho o que não tive”, confidenciou.

“Não havia assim grandes tradições familiares”, acrescentou. “Nunca houve o hábito de me levarem à praia e ao jardim”, contou, ainda.  Porém, a morte do pai da atriz marcou-a. “Foi doloroso.” Principalmente pela dor e pela necessidade de fazer justiça pelo progenitor.  “Tive de lidar com uma série de coisas. Houve um processo de negligência médica envolvido. E claro que isto foi complicado. Fiquei muita agarrada à vontade de fazer justiça. Depois houve um momento… e eu deixei ir. (…) O que fica? Ficam as coisas boas”, atirou.

“Coisas boas” como o sentimento de orgulho que o pai sentia pelo facto de a filha ser atriz. “Lembro-me do último telefonema que tivemos e eu estava na iminência de aceitar ou não aceitar um trabalho. Ele disse-me: ‘tens de aceitar e depois vou lá contigo buscar o Óscar’. Eu senti o orgulho. Se calhar não havia uma verbalização direta, mas eu senti que havia este orgulho estava lá. Isto deixa-me descansada”, rematou.

Texto: Carolina Sousa; Fotos: reprodução sic redes sociais
Leia também:
Vera Kolodzig interpreta uma acompanhante em série da SIC: “Há bastantes cenas íntimas”

PUB
Top