Viagem no tempo: José Castelo Branco encanta fãs ao mostrar Betty Grafstein nos anos 80

José Castelo Branco recuou aos anos 80 para mostrar Betty Grafstein na companhia de “um dos maiores cabeleireiros dos dias mais glamorosos de Nova Iorque”. A fotografia deixou os fãs rendidos.

26 Abr 2021 | 8:50
-A +A

José Castelo Branco partilhou uma fotografia antiga da mulher, Betty Grasftein, e provocou um verdadeiro rebuliço nas redes sociais. O marchand d’art não revelou a idade que Lady Betty tinha na imagem, mas esta foi captada nos anos 80 e os fãs ficaram rendidos à beleza da norte-americana.

“A homenagem da Betty a um dos maiores cabeleireiros dos dias mais glamorosos de Nova Iorque, Roberto Vegam, amigo próximo de Betty. Morreu vítima de SIDA”, escreveu na legenda da publicação, que deu origem a muitos comentários dos seguidores.

“Esta senhora é a Betty? Linda”, “Mulherão, linda e super chique”, “Fantástica”, “Maravilhosa”, “Que bela mulher” foram apenas alguns dos elogios deixados à mulher de José Castelo Branco.

 

José Castelo Branco confrontado com imagens da orgia em que participou

 

Recentemente, José Castelo Branco foi confrontado com imagens suas numa orgia, em 2011, durante um direto no Instagram. Assim que deu início à emissão online, na noite de 18 de abril, o seu interlocutor passou o vídeo, deixando o marchand d’art visivelmente incomodado.

O marido de Betty Grafstein terminou de imediato o direto e, mais tarde, regressou e deixou um “aviso”: “A próxima vez que me aparecer pornografia no meu ‘live’, onde eu costumo ter crianças, porque o meu público vai dos seis aos 80 anos, [a pessoa] será denunciada às autoridades e eu deixo de fazer lives de vez”.

“Isto tem sido demais. (…) Se eu quiser ver pornografia, eu alugo filmes, vou à Internet, vou a um cinema de porno, vou ver um show porno. (…) Não admito. Comigo, não dá. Mas agora só tenho tarados? Que nojo é este?”, perguntou ainda o socialite.

 

Veja o vídeo do momento protagonizado por José Castelo Branco:

 

 

Caso da orgia tem dez anos e foi a tribunal

 

O caso da orgia com um casal de Famalicão tem dez anos e José Castelo Branco sempre afirmou ter sido “drogadíssimo”. “Foi um horror aquilo que eu sofri por uma razão: porque eu sei a conduta que eu tenho e as pessoas que me conhecem sabem a conduta que eu tenho! Se eu quisesse ter uma vida dupla, teria essa vida dupla há muitos anos e nunca tive vidas duplas!”, afirmou.

“Sempre respeitei a minha mulher [Betty Grafstein], do princípio ao fim! E foram aquelas bestas que se meteram no [hotel] Ritz e que me fizeram o que fizeram… Bem, já passou, já perdoei. Foram presos!”, recordou, há dois anos, em entrevista a Manuel Luís Goucha. “O homem foi preso! Sabes o que é que eu disse à juíza? Eu disse: ‘Meritíssima, com toda a dignidade e com todo o respeito que eu tenho por este tribunal, diga-me que orgasmo é que eu tive!? Eu quero ver essa cassete! Já que eu tive um clímax, mostre-me!'”.

O Tribunal de Famalicão, onde o caso foi julgado, aplicou ao arguido, um empresário da terra, uma pena de seis anos e nove meses de cadeia. O Tribunal da Relação do Porto anulou, posteriormente, parte da sentença.

 

Texto: Patrícia Correia Branco e Ana Filipe Silveira; Fotos: Reprodução redes sociais

PUB
Top