Violência doméstica: Concorrente de “Hell’s Kitchen” conta tudo sobre 17 anos de pesadelo

Ana Cristina, concorrente do programa da SIC “Hell’s Kitchen”, foi uma vítima durante mais de uma década às mãos do “ex”. Passou fome, foi agredida e foi sozinha que enfrentou este pesadelo.

04 Abr 2021 | 22:30
-A +A

Ana Cristina Lourenço tem 55 anos e é a mais velha das concorrentes do “Hell’s Kitchen”. Contudo, a sua energia e a boa disposição fazem-nos esquecer a idade e muito menos imaginar o pesadelo que passou às mãos do ex-marido, que, devido aos problemas com o álcool, se transformou num homem violento. Foram 17 anos de pesadelo, durante os quais não pôde contar com o apoio dos pais, que lhe viraram as costas quando se casou.

Foi por gostar de desafios que Ana Cristina decidiu concorrer ao novo programa da SIC. Quando soube que “tinha sido selecionada, fiquei super feliz”, recorda. É, aliás, desta forma que hoje em dia se sente, ao lado de quem lhe restituiu o sorriso na cara, o seu atual marido, Manuel.

Contudo, nem sempre a vida lhe sorriu e um dos grandes pesadelos foi vivido ao lado do seu primeiro companheiro. “Foi muito complicado porque ele era alcoólico, tratava-me mal. Foi muito difícil. Estive 17 anos casada com o meu ex-marido, entretanto falecido, e eu fui aguentando. Passei por violência doméstica, passei fome, batia-me muito, foi muito difícil”, relembra, em exclusivo, à TV 7 Dias.

 

Ana Cristina recorda passado de violência: “Tive muita vergonha”

 

Nesta viagem ao passado, Ana Cristina recorda um dos episódios que passou durante este período: “Muitas das vezes punha-me na rua a chover. Ele vinha para casa, eu estava na cama, e ele estava alcoolizado e punha-me na rua. Eram os vizinhos que me ajudavam. Ele batia-me e depois pedia-me desculpa e eu dava-lhe mais uma oportunidade.”

Enquanto as marcas não se viam, a agora concorrente de “Hell’s Kitchen” conseguia andar de cabeça erguida na rua, mas, quando começaram a surgir as nódoas negras na cara, a vergonha apoderou-se de si. Apesar de ter ido várias vezes parar ao hospital, a concorrente diz: “O mais grave foi quando ele me bateu e eu fiquei com um olho negro. Tive muita vergonha. Para mim foi muito grave porque, enquanto estava escondido, eu calava-me, depois quando apareceu nos olhos foi complicado.”

O ponto final aconteceu quando a violência atingiu o filho do casal. “Foram umas atrás das outras, mas quando chegou ao meu filho parou tudo. Quando eu me separei do meu ex-marido, o meu filho ia fazer nove anos”, garante.

 

Pais de concorrente de “Hell’s Kitchen” viraram-lhe as costas

 

No entanto, apesar da separação, o pesadelo ainda estava longe de terminar. Isto porque Ana não tinha para onde ir viver e viu-se obrigada a continuar a residir na mesma casa que o agressor, tudo porque os pais lhe tinham virado as costas aquando do casamento. “Eu era uma menina jovem e o meu ex-marido era divorciado, então o meu pai ficou mal com isso, ficou triste e chateado, e então deixaram de me falar. Já viu o que é eu estar a viver uma vida sozinha, praticamente?”

Uma nova oportunidade surgiu quando Ana Cristina se apaixonou por Manuel, um confidente de infância. Já separada do “ex”, mas ainda a coabitar com ele, a chef acabou por engravidar do atual marido e foi aí que a sua vida deu uma reviravolta para melhor. “Engravidei dele, o meu ex-marido sabia que a menina não era dele, mas foi registá-la porque teve sempre aquela ideia de eu ficar lá com ele. Depois quando o meu atual marido chegou ao pé de mim e me disse para ir viver com ele, porque me encontrava naquela situação, eu fui logo porque estava à espera de uma oportunidade para poder sair”, admite.

 

Pai com problemas de alcoolismo e mão com cancro

 

O pesadelo relacionado com o álcool começou ainda antes de Ana Cristina se casar. Também o seu pai teve problemas de alcoolismo, “bebia muito. Ele era violento verbalmente. Às vezes dava-nos umas cinturadas, mas antigamente era assim”, desvaloriza.

Contudo, este problema acabou por custar a vida ao seu progenitor, há mais de uma década. Já a sua mãe perdeu a luta contra o cancro há cerca de dez anos, uma batalha que a concorrente de “Hell’s Kitchen” recorda com tristeza. “Foi muito complicado porque ela teve cancro durante muitos anos, mas eu apoiei-a até ao último dia”, reconhece, com orgulho.

Por ter estado ao lado da progenitora durante este processo, a participante do programa da SIC admite sentir-se de consciência tranquila por ter feito “tudo o que era possível. Ela teve cancro na mama, mas depois passou para vários sítios. Quando chegou ao fígado, acabou”.

 

“Ljubomir Stanisic foi muito carinhoso comigo e superatencioso”

 

Apaixonada por cake design, Ana Cristina decidiu ir para o “Hell’s Kitchen” enfrentar um novo desafio. Sobre a sua relação com Ljubomir Stanisic, a concorrente admite que o chef é um profissional rígido, mas, “como pessoa, é uma maravilha”. “Eu tive a sorte de andar nas palmas das mãos, ele foi muito carinhoso comigo, superatencioso, estava sempre a dar-me carinhos e abraços, e ele é mesmo espetacular. Não fazia ideia que ele fosse tão humano”.

Já o seu marido, Manuel, é que não ficou tão contente com esta aventura. “Ele ficou triste porque ia ficar sem a mulher, nunca estivemos separados. Sentiu a minha falta. Nós somos muito ligados”, explica.

 

Texto: Carla Ventura (carla.ventura@impala.pt); Fotos: Divulgação SIC e D.R.

 

(artigo originalmente publicado na edição nº 1776 da TV 7 Dias)

PUB
Top