Windoh é ameaçado de morte e ataca TVI: “A reportagem é totalmente falsa”

Windoh garante que não fez nada de ilegal ao vender cursos de investimento em ações e criptomoeadas por 400 euros. O caso foi denunciado pela TVI, que mereceu duras críticas do youtuber.

12 Mar 2021 | 22:05
-A +A

Windoh, nome artístico de Diogo Figueiras, alega que está a ser alvo de ameaças de morte depois de ter visto o seu nome envolvido num caso de burla. Em causa está a venda de cursos de investimento em ações e criptomoeadas por 400 euros, um caso que já está a ser investigado pelo Ministério Público.

O youtuber foi o convidado de Rui Unas na emissão desta quinta-feira de “Maluco Beleza”. Foi no programa digital que a estrela da Internet fez esta revelação, mostrando-se perturbado com a situação.

“Houve quem ficasse desiludido e é com essas pessoas que estou preocupado neste momento. Ligo muito ao carinho que as pessoas têm por mim. Nunca gostei muito de redes sociais e exposição. Até é irónico, porque acabei por escolher esta profissão. Acho que não sabia bem o que a fama implicava”, revela Windoh.

O caso de burla acabou por ser denunciado numa reportagem da TVI. Tal exposição fez com que o youtuber recebesse ameaças de morte, diz o próprio: “Passaram a conhecer-me através de uma reportagem que é totalmente falsa e que me pinta como megalómano e multimilionário que está cheio de dinheiro em bitcoins e que, ainda por cima, engana pessoas”, alega.

 

Windoh defende que não cometeu qualquer crime

 

O ex-companheiro de Angie Costa, também ela youtuber e atualmente no elenco da novela da TVI “Bem Me Quer”, considera que o que fez “não é ilegal”. “O que eu fiz não tem nada de mal aos olhos da lei. Continua a haver muita gente chateada comigo, especialmente por causa dos 400 euros, apesar de já ter explicado que nem sequer foi uma ideia que saiu da minha cabeça mas sim de pessoas com mais experiência do que eu”, refere.

O youtuber confessa ainda que chegou a considerar elevar o preço dos cursos, antes de concordar com o valor final: 400 euros. Em sua defesa, Diogo Figueiras diz que a situação está a ser resolvida e que o dinheiro será devolvido a todas os indivíduos que adquiram o curso. “Isto foi um negócio que correu menos bem devido ao mediatismo que tenho. Vou resolver isto muito em breve”, rematou Windoh.

 

Texto: Carolina Sousa: Fotos: reprodução redes sociais

PUB
Top